28/09/2011

VITÓRIA!!!!

| |
Imagem: Facebook


Este post é meio sem palavras, porque eu queria escrever muitas palavras, mas agora nem consigo, me embatato toda e acho que ninguém iria entender muito mesmo. Então, alguém lembra da Marcella, a garota com mielodisplasia que precisava de um doador de medula o quanto antes? Falei dela AQUI e AQUI. Pois então... O DOADOR APARECEU. Ela estava desenganada pelos médicos, que haviam dado apenas 6 meses de vida a ela. E surgiu um doador. GENTE! Que notícia ma-ra-vi-lho-sa!!! 

Não é maravilhoso ver alguém caminhando rumo à vitória com passos tão largos depois de toda essa luta? É SIM, DEMAIS. 

A Marcella fará um mês de quimioterapia e em novembro fará o transplante. É mágico.

Agora o apelo continua: DOEM, CADASTREM-SE como doadores de medula, a Marcella é mais um caso entre muitos que podemos ajudar. A FILA CONTINUA GALERA.

E a gente pode ajudar esse pessoal a vencer!

Imagem: Girly Stuffs


Beeeijo!

27/09/2011

O que ver na web

| |

Achei bacana compartilhar com vocês algumas coisas que encontro pela internet e acho que vale a pena ver. Compartilhar é bacana. :)


  • Cartas ao meu bebê - A Mariáh descobriu que estava grávida e desde então começou a escrever este blog dia a dia, para o Fernando, seu filhotinho. São posts carregados de emoção e amor. O interessante é que exatamente na carta nº100 ela começa a sentir os primeiros sinais do parto. Vale a pena conferir, ela recém teve o Nando e agora vamos acompanhar as emoções da nova mamãe. 
  • Truques de Maquiagem - Um dos blogs sobre o assunto que sigo, ainda que muito raramente me preste e usar algo que possa ser classificado como maquiagem. O mais legal são os vídeos, a Paola é super extrovertida e tem um "quê" de doidinha, dando a eles um ar todo especial. 
  • Na minha panela - Mais um dos blogs de culinária que sigo, com receitas fáceis e práticas de fazer, e cada foto de babar.
  • EAD Senar - O SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) disponibiliza diversos cursos online e você não precisa ser produtor rural para participar. São cursos gratuitos, muito didáticos, e que abordam temas de interesse geral, além dos específicos para os trabalhadores rurais. São cursos de saúde, informática, ecologia, entre outros.
  • Massa Cultural - Esse blog/site traz posts sobre os mais diversos assuntos relacionados à cultura: literatura, arte, música, entre outros. Acho muito bacana acompanhar, uma vez que precisamos cada dia mais de cultura no nosso cotidiano. Vamos fugir da alienação!
  • Bem Legaus - Aqui você vai acompanhar as mais diversas novidades, produtos, vídeos, utilitários, jogos entre outros, tudo muito bacana. 
  • Point das Promoções - Para quem quer ficar por dentro de todos os sorteios e promos da blogosfera.
Bom, por hoje são essas as indicações. Rapidinhas sobre os últimos dias:

- Rinite indo e voltando. Primavera RULEZ.
- Problemas para dormir novamente.
- Reeducação alimentar cada dia mais nos eixos.
- Falta mais atividade física.
- Tenho tido MUITO trabalho, mas ao menos o tempo passa mais rápido.
- Meus pais passaram o final de semana aqui em casa, foi muito gostoso.
- Tudo ok com minha sogra.
- Minha mãe novamente com problemas de saúde.
- Ando mais tranquila ultimamente, isso tem sido bom.

Era isso, beijo grande!

20/09/2011

Receitinha - Ricota light temperada

| |
Então que eu só vou postar receitas que eu fizer e puder postar fotos que eu mesma tirar. Porque dá muito mais charme né? Olha o que temos pra hoje:


Que riqueza, vocês viram que até marquinha d'água eu pus né, rs. Então, eu tinha um potinho de ricota light há dias na geladeira. Mas ricota é aquela coisinha meio sem gosto e talz. E ele foi ficando por lá. Aí hoje pensei: e se eu temperar a linda? Tri fácil.

Misturei a um potinho de ricota light uma colher de sopa bem cheia de temperinho verde picadinho (salsinha e cebolinha), um fiozinho de azeite de oliva, uma colher de sobremesa mais ou menos de orégano, e uma colher de sopa carregadinha de cream cheese light que eu ainda tinha. Misturei e prontinho. Ficou uma delícia! Comi com umas torradinhas integrais. Vai bem no pãozinho, torradinha e pensei até em quem sabe misturar um atum, ou frango desfiado e rechear uns tomates. Que tal?


Beijos!

20 de setembro - Revolução Farroupilha

| |
Imagem: arquivo pessoal.

20 de setembro é um dia todo especial aqui no Rio Grande do Sul. Todos os anos faço posts sobre isso, e todos os anos farei, dada a importância do dia para nós. Essa comemoração mexe negativamente com algumas pessoas, principalmente na internet, porque comemoramos tanto que muitas vezes isso causa irritação. Eu particularmente acho tão natural amar o lugar onde vivemos que não entendo como a maioria não faz isso. 

Todos sabemos o Hino Riograndense, ele é executado inclusive nos jogos de futebol que ocorrem no estado (comentando porque li uma pessoa no Twitter dizendo que acha isso ridículo, enfim), e inclusive em uma crônica o Arnaldo Jabor se diz impressionado por ver que TODOS sabiam a letra do hino em uma convenção em Porto Alegre. Enfim, temos nosso orgulho sim, adoro morar aqui, assim como acho que todas as pessoas do resto do país adoram morar onde moram. Apenas parece que comemoramos um pouco mais. 

Muitos questionam porque comemoramos a Revolução Farroupilha se, na verdade, houve um "empate técnico", onde negociamos a cessação da guerra em troca de rendições e de abonos a castigos e punições. Comemoramos o fato de termos tido peito de lutar contra um país inteiro por algo que acreditamos (a guerra começou porque comercializávamos charque e a "Federação" passou a cobrar impostos abusivos, e não conseguíamos fazer concorrência com o charque argentino, perdendo mercado). E olha, sendo um estado, "empatar" com um país todos tá loco de bom né,rs. Claro que guerra é guerra, sempre achei que guerra fosse desnecessária, mas entendo que antigamente era um do poucos recursos que realmente funcionavam. Enfim, o seriado "A casa das 7 mulheres" e o livro homônimo, que deu origem à série, contam essa história de uma maneira bem bacana.

Sei que hoje é dia de comemoração, é dia de Desfile Farroupilha (que eu perdi por subestimar a gauchada achando que não iriam desfilar com chuva, mas teve um baita de um desfile, isso sim), de churrasco, de mateada, roda de chimarrão e muita música gaúcha. 

Não sou a favor do separatismo (apesar de brincar muito com isso), porque nossa história vai contra isso, uma vez que literalmente LUTAMOS para fazer parte do Brasil (queriam anexar o RS à Argentina, e nós gaúchos lutamos para ser anexados ao Brasil), portanto não somos melhores que ninguém. Mas sim, temos nossas características próprias, que me enchem de orgulho, nossos valores, nossa dança (extremamente respeitosa), nossos costumes, nossa cultura, e tudo isso nos dá uma característica muito peculiar. Não melhor, nem pior, apenas peculiar, própria, muito nossa. E amo isso, muito mesmo.

Não tenho preconceito (ou como queiram chamar isso) contra nenhum outro estado, mas do meu estado, se alguém fala mal, sou eu, confesso que me irrito com quem fala mal sem ser daqui, sem conhecer de verdade.   Acho que cada estado tem seus costumes, assim como eu posso ir, por exemplo, para o RJ e não me adaptar, não gostar, muitos podem vir para cá e pensar o mesmo. É questão de hábito, de costume.

Hoje é um dia muito feliz para nós, mas acho que vou ficar um pouco longe do Twitter porque as manifestações contrárias desrespeitosas me deixam um pouco irritada, e eu não quero esse clima pra mim. :)

Só para compartilhar um pouquinho mais, abaixo vão algumas expressões do nosso cotidiano, para quem conhece algum gaúcho, mas fica em dúvida sobre algo que ouve:

  • Azucrinar - incomodar.
  • Bóia - comida.
  • Bolicho - mercadinho de bairro, sem muita variedade.
  • Bruaca - mulher feia.
  • Buenacha - boa.
  • Cacetinho - pão francês.
  • Cagaço - susto.
  • Chimia - do alemão "schmier", geléia de frutas.
  • Cuca - algo que fica entre um pão e um bolo, recheado com os mais diversos sabores, oriundo da culinária típica alemã.
  • Cuiudo - sujeito valente (vem de "colhudo", cavalo não castrado).
  • Cupincha - companheiro.
  • Cusco - cachorro vira-latas.
  • Entrevero - confusão.
  • Faceiro - feliz.
  • Fatiota - terno.
  • Guaipeca - vira-latas.
  • Guisado - carne moída.
  • Jururu - tristonho.
  • Lançante - descida.
  • Macanudo - bonito, legal.
  • Maleva - bandido.
  • Maricas - efeminado.
  • Mu-mu - doce de leite (expressão generalizada por conta de uns das primeiras marcas de doce de leite comercializadas, a Mu-Mu).
  • Oigalê! - Expressão de espanto, admiração, alegria.
  • Peleia - briga.
  • Piá - guri, menino.
  • Qüera - valente.
  • Renguear - mancar.
  • Sanga - riacho.
  • Soga - corda.
  • Talho - ferimento.
  • Trova - conversa.
  • Vareio - surra.
  • Vivente - pessoa.
  • Zunir - sair apressado.


Usei apenas expressões cotidianas, que falamos mesmo no dia a dia, há algumas que nem usamos muito, então deixei de fora muitas. Eu acharia bacana que pessoas de outros estados compartilhassem as expressões cotidianas dos seus estados, acho tão legal, e alguém fizer um post sobre, me avisem que eu corro ler, sou curiosa e gosto disso. :)

Enfim, um beijo para todos e VIVA MEU RIO GRANDE!

P.S.: deixando claro que sim, há muitos gaúchos bobos que acabam provocando a ira dos outros com comentários separatistas ou ponto o RS como melhor que os demais (alguns por brincadeira mesmo, outros pra provocar que a gente sabe), assim como há os bobos que aproveitam para generalizar e xingar o ofender os demais gaúchos que não tem nada a ver com isso. Enfim, idiotas de todos os lados, o negócio é tentar ficar à margem disso. Mas olha, NÃO TÁ FÁCIL, rs. 

Obs.: farei moderação de comentários neste post, pois no do ano passado tive que ler coisas ofensivas a mim e ao meu estado e não acho necessário que se publique esse tipo de coisa. Esse é um país democrático, onde todos tem o direito de expressar sua opinião, mas também de não aceitar opiniões ofensivas. 


18/09/2011

Receita - Maçã assada com canela

| |
O final de semana não rendeu nada. Não estive cheia de coisas pra fazer não, mas sei lá, não consegui me organizar, nem visitar blogs como eu queria, nem atualizar o layout que quero há tempos. Enfim.

A receita de maçã assada com canela é o tipo de receita que sempre vi em revistas como "Boa Forma", "Shape", e em todas as dietas, como algo para matar aquela vontade de doce. Mas eu não sou muito fã de maçã (acho que já comi demais na minha vida), é a tal da fruta que eu substituiria por qualquer outra. Mas eis que havia uma maçã quase indo pros finalmente ali na cesta de frutas e eu pensei: vou fazer e ver como fica. Olha no que deu:


A receita é do tipo que não tem mistério, não precisa nem saber fritar ovo pra isso (até porque fritar ovo é uma coisa que faço mal pra caramba até hoje, me peça um terrine, ou uns gyozas, mas não me peça pra fazer ovo frito). Pega a maçã, corta em fatias mais ou menos finas, e joga um limãozinho em cima. Beleza. Aí você decide se você quer uma maçã douradinha, ou uma maçã assada rápida. Se quer douradinha, manda pro forno até dourar. Se quer rapidinha (meu caso), põe em um refratário/prato e leva ao micro ondas por 1 minuto na potência máxima e tá loco de bagual. Tira, salpica canela (eu sou safada e pus uma colher de chá de açúcar, nem sei pra quê, diferença zero né, rs), e vai ser feliz com poucas calorias (umas 80 sem o safado do açúcar).

Achei bem gostosinha até, e achei que o limãozinho deu o "tchan". 

Então, boa semana para vocês, se comportem, eu tenho tentado.

Beijos.

15/09/2011

Inapto definitivo

| |


Voltei, cheguei do hospital. Minha sogra está bem. Não foi necessário retirar todo o seio, "apenas" 40 a 50%, mas achei que os médicos fizeram um bom trabalho, pq eles retiraram a área afetada e mais um pouco para ter uma margem de segurança, mas não deixaram tudo "picotado", eles deixaram a pele intacta e costuraram ao redor da auréola do seio, então ficou como um seio siliconado, só sem o silicone, vai ficar uma cicatriz em torno da auréola do seio. Minha sogra até brincou que vai ter que operar o outro seio, pq um ficou "empinadinho" e o outro murchinho, danada, rs.

A parte ruim foi chegar no hospital às 8h e esperar até às 13h porque não tinha leito. Minha sogra saiu da sala de espera direto pra cirurgia, nem foi pro quarto. Entrou às 13:30, saiu lá pelas 17h e ficou na sala de recuperação até umas 20h. Estava sem dores, e glicose que deu umas doideirinhas, ela teve que fazer umas insulinas mas né, ela não se cuida, então eu já previa isso. Hoje ela está mais dolorida, sem todos aqueles remédios pra dor direto na veia, por via oral vcs sabem, demora mais e detona o estômago da gente né. Mas logo ela estará boa.

Foi meio dureza dormir numa poltrona reclinável por duas noites (dormir em termos, pq né) e passar a sanduíche, pastel e biscoito (não consigo comer dentro de hospital e era o quer tinha na lanchonete), mas olha, valeu a pena, ela está bem e sinto que eu pude ajudar.

Lá na sala de espera, estufei o peito e decidi cumprir uma promessa que fiz aqui pra vocês: DOAR SANGUE. Como eu disse, morro de medo de agulhas. Mas quando decido, vou e ponto final. Fui no Hemocentro, que era ali dentro do hospital mesmo (HCI), me cadastrei e fui pra entrevista. Quando a gente doa pela primeira vez, eles fazem uma entrevista MUITO detalhada. Mas logo no comecinho da entrevista me dei mal e ganhei um carimbão na minha ficha, com as seguintes palavras: INAPTO DEFINITIVO.



 Explico: pessoas com bronquite e asma, com crises há menos de um ano (e eu tinha tido uma crise dois dias antes diga-se de passagem) não podem doar sangue. Segundo o que a enfermeira (muito delicada com medo de me ofender com a negativa), o problema está no fato de que, como o sangue transporta o oxigênio para os pulmões, a retirada rápida de sangue (cerca de 400ml em mais ou menos 5min) pela coleta poderia ocasionar uma forte crise respiratória. Ou seja: não pude cumprir minha promessa, e nunca poderei, asmática que sou.

No site do Centro de Hematologia de São Paulo há mais informações sobre quem NÃO PODE DOAR sangue: http://www.chsp.org.br/novo/interna.php?id=1164

Confesso que fiquei muito chateada, eu queria muito, MUITO MESMO me tornar uma doadora de sangue, aqui na minha cidade há Banco de Sangue, aproveitei lá porque não teria nada pra fazer e meu marido já estava junto e tudo mais, sem contar que o pessoal do HCI (Hospital de Caridade de Ijuí) é muito mais gentil que os daqui, povo super bem preparado, delicado, sempre sorridentes, tratamento excelente. Ainda estou tentando diferir, fui com muita vontade, reuni muita coragem, estava SUPER DECIDIDA e tomei um balde de água fria.

Entendo perfeitamente o porque de eu não poder doar, mas fico triste por não poder fazer isso. Então aqui fica meu apelo, novamente: DOEM. Hoje a Marcella, precisou de mais uma transfusão de sangue (enquanto ela não consegue uma medula compatível, precisará de constantes transfusões), mas NÃO HAVIA SANGUE NO ESTOQUE. Gente! Pensem só, a vida de pessoas depende de 5 minutos do nosso tempo. Vale a pena.

E aproveitando a deixa, para quem não conhece o caso da Marcella, esse post diz direitinho qual é e como vocês podem ajudar de qualquer lugar do país: http://www.wayshiriu.com/2011/08/sobre-doacao-de-medula-ossea.html

Um beijo enorme, fiquei com Deus, logo porei as visitas em dia, beijos!

P.S.: Deus já resolveu dois grandes problemas meus, como eu disse, Ele me deixa sofrer um pouquinho, mas nunca me deixa na mão. Tks Lord. :)


11/09/2011

Previsão para a semana

| |

A semana será longa e turbulenta. Na terça, quarta e quinta-feira estarei em Ijuí acompanhando minha sogra no hospital. Ela irá para sua segunda cirurgia, para a retirada de um câncer no seio. Ainda não se sabe se irão retirar parte da mama ou toda ela. Só depois da incisão e de verificarem quanto do seio está comprometido é que saberão. Ela só tem filhos homens, e por isso terei de acompanhá-la pois, como paciente do SUS, ela ficará em um quarto coletivo com outras mulheres, geralmente também operadas, então todos sabemos como é delicado ter um homem como acompanhante nessas horas. Complicado pedir dispensa do trabalho por esses dias. Mesmo sabendo que é um direito meu me ausentar para cuidar de um familiar (é, sogra é parente, rs), e dela também, de ser bem atendida, sempre é chato pedir dispensa. Eu particularmente não gosto. E nossos superiores, logicamente, nunca vêem isso com bons olhos. Meu trabalho também é chato de fazer, e sempre é tenso pedir que uma colega me substitua, ninguém é obrigado a fazer isso, apesar de minha colega ser ótima e fazer isso com toda boa vontade. Mas é assim que tem de ser. As coisas não são como queremos. Eu não queria que minha sogra estivesse com câncer, menos ainda ter de ficar acompanhando ela no hospital. E acho que não é maldade dizer isso não, acho difícil alguém que faça isso porque gosta. A gente faz porque quer e porque é necessário. Mas nunca é bom. Cansa, estressa, mas tem o sentimento bom de estarmos fazendo nossa parte.

O mais complicado é que vou pra lá deixando 200 problemas para serem resolvidos aqui. Tenho passado por tanta coisa ultimamente que há dias em que não vejo a tal luz no fim do túnel. Hoje é um desses dias. Fico me perguntando que tipo de prova é essa pela qual tenho de passar e qual a finalidade dela. Sei que há uma, sempre há um aprendizado. Só queria entender qual é. 

Sou bastante religiosa, e acho meio idiota essa ideia de que quem é religioso não deve ter dúvidas, deve viver sempre feliz e sorrindo e nunca reclamar de nada. Não é por aí. Uma pessoa religiosa não é uma espécie de Highlander, ou Fênix. Os problemas vêm, machucam, batem de frente e a gente desnorteia também, entristece e se pergunta a finalidade de tudo. A diferença é que buscamos entender que tudo é uma fase e tudo tem uma finalidade, e a paz sempre nos faz mais fortes. Eu confio nessa finalidade, por mais que agora não saiba qual é. E me rendo, e me entrego e me despedaço para ser reconstruída novamente quantas vezes forem necessárias. Porque também quero experimentar o alívio. Também quero colher os frutos das coisas boas que faço. Também quero ser feliz e ter momentos alegres tantos quanto me forem permitidos ter.

Por hora ainda não sei como resolverei os problemas dessa semana estando em outra cidade, mas tenho fé que de algum jeito tudo dará certo. Ter fé é a única maneira de conseguir enfrentar tudo nessa hora. Tenho passado por tanto sufoco, e tenho visto as coisas de resolverem uma a uma, ainda que no último momento.  Ai, mas precisava ser no último momento? Rs, rs, rs... Quem sou eu para entender, né. Só posso fazer minha parte, o melhor possível. 

Enfim, eu ia postar uma receita, mas o texto ficou longo demais, fica para outro dia. E também ia indicar um filme, que fica para outro dia também, rs...

A imagem é do meu amado WeHeartIt, e veio do Tumblr Dizzy Dreamer.

Beijos.

10/09/2011

Sonhos

| |

Sonhei um monte de coisas. Eu sempre sonho um monte de coisas, porque em um noite normal de sono acordo várias vezes e, entre um despertar e outro, sonho coisas diferentes. Há sonhos dos quais não me lembro e há aqueles que deixam uma sensação o dia todo. É uma sensação diferente, as imagens não vêm à mente, mas a sensação do sonho fica o dia todo comigo. Difícil explicar e, pelos meus sonhos, posso lançar a teoria de que essa outra teoria de que os sonhos trazem à tona coisas do nosso inconsciente não têm nada a ver. Porque sonho com coisas que não têm nada a ver com meu cotidiano, nem com desejos, nem com atividades diárias, nem filmes, jogos, nada. Quase sempre é assim.

Essa noite sonhei muitas coisas doidas. Sei lá.

Um namorado com um penteado cheio de "coquinhos" no cabelo. Eu me arrumando para ir à igreja e pedindo para ele soltar aquele cabelo, que estava horrível. E eis que o cabelo era compridão, lindo, brilhoso, sedoso,  mais lindo que o meu. Quase até a bunda. e foi encurtando e ficou pouco acima dos ombros.  Enfim... E minha mãe tinha um namorado mexicano velho e doidão que ficava tocando violão (minha "mãe" nem era minha mãe de verdade). E lembro de eu tentar trocar de roupa e onde eu fosse o maldito mexicano estava. Também teve a parte de ficar bebendo vodka com suco de uva (oi?) escondida, e estar fugindo da polícia (não tenho idéia do porquê), uma fuga linda de nervosa e emocionante na qual eu me dava bem. E passeio de mãos dadas com o marido (esse o de verdade) numa rua que parecia uma das ruas próxima à casa dos meus pais, mas as árvores eram super frondosas e lembro de chamar a atenção para as suas copas fechadas, que deixavam escapar só uns "pedacinhos" de sol. E também de eu ser personagem de algum joguinho e não me deixarem entrar em alguns lugares porque não eram da minha "fase". 

Quanta bobagem.

Enfim, hoje é sábado e a Ju Ramalho fez um post com umas dica bacanas de filmes para assistir dêem uma olhada, tem muita dica bacana, quem sabe era o que faltava para aquela sessão pipoca no fds, hein? AQUI ó. Acho que essa semana sai o post com o tutorial ensinando a baixar uns filmes.

É isso.


Bjs povo!

07/09/2011

Independência ou morte? - por Marco Baptista

| |


Hoje, dia 7 de setembro, quero deixar aqui registrada minha admiração por um dos mais cultos e devotados administradores desse país: Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon ou, simplesmente, Dom Pedro I. Isso não há quem negue, afinal, que outro regente se desfaria de seu salário em prol da economia Nacional?

Voltemos ao dia 7 de setembro de 1822, aproximadamente às 17 horas. Lá no alto da colina aponta uma comitiva de 4 ou 5 pessoas, tendo à sua frente um belo jovem de 23 anos. Ele, robusto, seu rosto emoldurado por uma bela melena (cabelo) emaranhada, e uma barba que salienta seu queixo retraído. É ou não é a cara de um herói? Ainda mais com aquelas calças apertadas que no futuro seriam plagiadas por muitos super-heróis estrangeiros.

O jovem, todo enlameado, vem montado não em um simples cavalo, mas numa mula baia gateada. De repente, após falar algumas palavras com seus acompanhantes, seu interior explode em fúria! Ele parece não conseguir submeter-se a tamanha pressão, e então toma uma decisão: desce como um raio da sua montaria, fita ao longe o horizonte, corre o mais rápido que pode ao arbusto mais próximo para... se aliviar da terrível diarreia que o perseguia como quem houvesse bebido sozinho dois litros de Activia. 

Foi nesse clima de dor, gemidos e muita merda que a Independência foi proclamada. Nem parecido com o heroico quadro de Pedro Américo (que ilustra este post). Acredito que, se Pedro Américo o tivesse pintado tal como o ocorrido, a obra não seria tão agradável. Prefiro a visão romântica do artista.

Obs.: conforme o Pe. Balchior, que acompanhava Dom Pedro, não houve a expressão "Independência ou morte". Este brado só seria citado bem depois em um relato de Canto Melo. Que, diga-se de passagem, nem estava junto quando o tal brado foi "proclamado". Então, demos à história o benefício da dúvida.



     Marco Baptista
Artista plástico formado em Pintura 
pela Escola de Belas Artes da UFRJ,
 pesquisador de história da arte
e um  indivíduo muito curioso.


Obrigada ao meu querido esposo que fez este post. Achei interessante que ele dividisse conosco estas curiosidades, que ele sempre me conta e eu adoro! Portanto, fica um pouco do que escuto todos os dias, hahaha!

05/09/2011

Receitinha, filme e alguma coisa mais.

| |
Então que na sexta-feira cheguei em casa decidida a acabar com a rinite. Claro que eu sabia que isso seria temporário, mas melhor que a tensão da crise na qual passei a semana toda. Fiz algumas coisinhas, banho, Celestamine e fiquei na internet até o antialérgico começar a fazer efeito e, com o efeito, o sono chegar. 



Não demorou muito, a última vez em que espiei no relógio eram umas 19:50. Acho que não passei das 20h acordada. Fui até umas 23h, dei uma acordada, e voltei a dormir, indo assim até as 10h da manhã seguinte. Acordei, fui na igreja, voltei, fiz almocinho e o sono ainda ali. Fui pra cama outra vez, 14h e capotei até umas 18h, quando fui obrigada a levantar, havíamos marcado um jantar aqui em casa com um casal de amigos, e era hora de começar os preparativos.

E agora chega a hora da receita. Não fiz nada difícil, nada rebuscado, tudo muito simples, mas pratos simples com uma apresentação bonitinha fazem tudo parecer mais gostoso, certo? Me joguei nos legumes, frangos e queijinhos para a noite. Tudo muito leve e light. E gostoso, claro. A foto não faz jus ao quanto ficou bonitinho o prato, a pressa de não deixar os convidados esperando só para tirar uma foto bonita foi maior né, mas já deu pra ver que ficou legalzinho.



Então. Não vou usar medidas exatas, porque tudo sobrou por aqui. E eu não sou do tipo que trabalha com medidas exatas. Mas vamos lá. Peguei uns 5 tomates, lavei (claro), tirei bem o miolinho, e separei em uma vasilha. No dia anterior eu havia posto para cozinhar dois peitos de frango na panela de pressão, com água até cobri-los e um pouco de sal. Deixei por uns 30 minutos depois que o "tchu-tchu" começou, porque eu queria desfiá-los e para isso teriam de estar suuuper bem cozidos. Cozidos e desfiados, misturei mais ou menos 1/3 do frango a cerca de um pote de ricota light, com um pouco de milho verde em conserva e champignons picadinhos (guardei uns para enfeite). Não acrescentei sal, já que o frango já estava salgado e a ricota já tem um salgadinho. Enchi os tomates, decorei com uma folha de salsinha, um champignon e prontinho. Fica bem gostoso. 

Outro dia passo as outras receitinhas, todas leves, gostosinhas e lights. 

Ontem (domingo) à noite assisti ao filme Órfãos da Guerra (The Children of Huang Chi) que conta a história de George Hogg, um jovem e inexperiente jornalista inglês que acaba em um orfanato chinês abandonado durante a Guerra. Ele acaba cuidando dos órfãos, e transformando o lugar, tanto que o exército fica de olho nos rapazes, robustos e fortes. Então ele decide levar os 60 órfãos em uma jornada de mais de 1.000km pelas perigosas montanhas de Liu Pan Shan, que formavam a Rota da Seda, até a fronteira do deserto da Mongólia, onde eles estariam seguros. É um filme de cerca de duas horas, mas muito bacana. É legal, e triste, e feliz, e triste, e feliz de novo e triste e no final... ah, vejam vocês, rs... Adoro filmes baseados em histórias reais, e esse mostra o quanto a boa vontade humana pode transformar vidas. Espiem o trailler abaixo.





Daqui uns dias vou ensinar a baixar filmes da net, certo? Assim quem tem uma velocidade bacaninha em casa pode aproveitar melhor. ;)


Beijinhos.

02/09/2011

Primavera

| |
A primavera chegou... Flores por todos os lados, os ipês que tomam conta da cidade todos lindamente floridos, aquela coisa romântica que remete à uma coisa meio "here comes the sun, tchararara". Mas... porém... contudo... entretanto... Quem tem alergia como eu, sofre... sofre... SOFRE. 



Nestes últimos dias tentei aliviar as crises com antialérgicos livres de corticoides (loratadina, por exemplo), que ajudam bastante nas crises leves. Mas quando o negócio é feio (como quando os polenzinhos passeiam livremente por todos os cantos da atmosfera da cidade), aí eles pouco adiantam. Ontem precisei tomar TRÊS comprimidos. De um que se toma UM ao dia. Para poder dormir. E ainda acordei mal no meio da noite. Eu nem tinha outro antialérgico em casa, quero distância de corticoide, já estou gorda o suficiente, me dá agonia só de pensar. Mas vir trabalhar enlouquecida de sono, com dor de cabeça e no rosto, o nariz ardendo o tempo todo (ao menos os espirros deram um tempo), olhos coçando e tudo o mais, não é vida. Comprei uma caixinha linda de Celestamine e SÓ LAMENTO. Não tomei ainda porque tenho um dia de trabalho todinho pela frente, e ninguém quer capotar em cima da escrivaninha, pega tri mal né.

No mais é triste esse mês de setembro. Principalmente porque hoje começa o festival Cidade das Tortas aqui que, pelo nome, vocês já imaginam a perdição que é. Bem no meio da praça. Bem no meio do meu caminho. A uma quadra aqui do trabalho. Socorro. Vou passar longe da tentação. Chega de estragar dieta.

Falando em dieta, ainda tenho um percurso bem grandinho pra vencer, e ainda falta força de vontade. Complicado isso de força de vontade. Porque é uma coisa que todos sabemos que precisamos, mas que ter não é tão simples quanto parece. Alguém tem pra vender aí?

Beijos.