11/09/2011

Previsão para a semana

| |

A semana será longa e turbulenta. Na terça, quarta e quinta-feira estarei em Ijuí acompanhando minha sogra no hospital. Ela irá para sua segunda cirurgia, para a retirada de um câncer no seio. Ainda não se sabe se irão retirar parte da mama ou toda ela. Só depois da incisão e de verificarem quanto do seio está comprometido é que saberão. Ela só tem filhos homens, e por isso terei de acompanhá-la pois, como paciente do SUS, ela ficará em um quarto coletivo com outras mulheres, geralmente também operadas, então todos sabemos como é delicado ter um homem como acompanhante nessas horas. Complicado pedir dispensa do trabalho por esses dias. Mesmo sabendo que é um direito meu me ausentar para cuidar de um familiar (é, sogra é parente, rs), e dela também, de ser bem atendida, sempre é chato pedir dispensa. Eu particularmente não gosto. E nossos superiores, logicamente, nunca vêem isso com bons olhos. Meu trabalho também é chato de fazer, e sempre é tenso pedir que uma colega me substitua, ninguém é obrigado a fazer isso, apesar de minha colega ser ótima e fazer isso com toda boa vontade. Mas é assim que tem de ser. As coisas não são como queremos. Eu não queria que minha sogra estivesse com câncer, menos ainda ter de ficar acompanhando ela no hospital. E acho que não é maldade dizer isso não, acho difícil alguém que faça isso porque gosta. A gente faz porque quer e porque é necessário. Mas nunca é bom. Cansa, estressa, mas tem o sentimento bom de estarmos fazendo nossa parte.

O mais complicado é que vou pra lá deixando 200 problemas para serem resolvidos aqui. Tenho passado por tanta coisa ultimamente que há dias em que não vejo a tal luz no fim do túnel. Hoje é um desses dias. Fico me perguntando que tipo de prova é essa pela qual tenho de passar e qual a finalidade dela. Sei que há uma, sempre há um aprendizado. Só queria entender qual é. 

Sou bastante religiosa, e acho meio idiota essa ideia de que quem é religioso não deve ter dúvidas, deve viver sempre feliz e sorrindo e nunca reclamar de nada. Não é por aí. Uma pessoa religiosa não é uma espécie de Highlander, ou Fênix. Os problemas vêm, machucam, batem de frente e a gente desnorteia também, entristece e se pergunta a finalidade de tudo. A diferença é que buscamos entender que tudo é uma fase e tudo tem uma finalidade, e a paz sempre nos faz mais fortes. Eu confio nessa finalidade, por mais que agora não saiba qual é. E me rendo, e me entrego e me despedaço para ser reconstruída novamente quantas vezes forem necessárias. Porque também quero experimentar o alívio. Também quero colher os frutos das coisas boas que faço. Também quero ser feliz e ter momentos alegres tantos quanto me forem permitidos ter.

Por hora ainda não sei como resolverei os problemas dessa semana estando em outra cidade, mas tenho fé que de algum jeito tudo dará certo. Ter fé é a única maneira de conseguir enfrentar tudo nessa hora. Tenho passado por tanto sufoco, e tenho visto as coisas de resolverem uma a uma, ainda que no último momento.  Ai, mas precisava ser no último momento? Rs, rs, rs... Quem sou eu para entender, né. Só posso fazer minha parte, o melhor possível. 

Enfim, eu ia postar uma receita, mas o texto ficou longo demais, fica para outro dia. E também ia indicar um filme, que fica para outro dia também, rs...

A imagem é do meu amado WeHeartIt, e veio do Tumblr Dizzy Dreamer.

Beijos.
Comentário(s)
Comentário(s)