26/08/2012

Senta aqui do meu lado... e me escuta um pouquinho.

| |
Imagem DAQUI.
Todos nós passamos por dias em que as coisas estão cinza. Faz um bom tempo que tenho passado por esses dias mais do que gostaria. Esses momentos nos tiram a vontade de viver, de agir, de mudar, melhorar. E onde eu mais me machuco? No excesso de peso.

Em dias como hoje, o caminho parece ser longo demais. Parece que jamais vou conseguir novamente. Brigo comigo mesma por ter me permitido chegar nesse ponto.

Muitas pessoas chegam até o blog, me enviam e-mails, baseadas em depoimentos que vêem em outros sites, sobre o meu emagrecimento. E cá estou eu, muito pior do que meu ponto de partida. A cada e-mail, em que preciso desfazer essa impressão, é como se uma ferida fosse aberta.

Não me aceito, e sinto como se ninguém me aceitasse. Sinto como se o mundo cobrasse de mim uma atitude, como se o mundo exigisse que eu emagreça. E como vou perdendo peso a passo de lesma (200g, 300g por semana), sinto como se eu não fosse digna do mundo. É essa a frase. Não me sinto boa o suficiente pra nada. Procuro evitar externar esse sentimento no dia a dia, para meu marido, as pessoas que me cercam, mas me sinto assim o tempo todo.

Como se eu fosse uma coisa horrenda, impossível de se olhar sem sentir nojo. Essa sou eu. E estou sozinha nessa luta comigo mesma. As pessoas podem me ajudar? Podem. Mas elas não sabem como, nem eu sei se adiantaria. É uma ferida muito profunda, muito dolorida e que nunca pára de sangrar. Algumas pessoas levam na boa o excesso de peso. Eu nunca levei tão mal como agora. Sempre quis ser mais magra, mas nunca me senti como me sinto agora. Ter sentido o "gostinho" da vitória, de me aceitar, me amar, de entrar numa loja e escolher o que vestir sem problemas, olhar na rua e ter olhares de admiração, não de acusação, e depois ficar pior ainda do que eu estava, é horrível. Evito ao máximo pensar nisso, por me doer demais, e porque eu não conseguiria passar os dias com tanta mágoa no meu peito.

É um desabafo pesado, muitos podem não gostar de ler, mas acho que é um dos mais sinceros que já escrevi. Não me sinto digna de carinho. Não me sinto digna de nada. 

Quando estava próxima ao casamento, encontrei uma força de vontade dentro de mim, que eu não conhecia. Fiz uma dieta radical e levei numa boa. Mas essa dieta radical foi um erro. Fica aqui meu aviso: não faça dietas radicais. Perdi MUITA massa muscular. E isso fez com que ficasse ainda mais difícil manter meu peso. Dietas malucas dão resultado, mas fazem isso. E agora perder peso é um inferno. É lento. Aliado ao fato de estar com meus 29 anos já, tudo fica ainda mais difícil. E não sei onde encontrar essa força de vontade.

Quero emagrecer, quero muito. Mas sou meu maior entrave. Sou meu maior problema. 

A maioria das pessoas pensa que é só parar de comer. É triste e quase nojento dizer isso, mas isso é muito, muito mais difícil do que parece. Ao contrário do que muitos pensam, eu não assalto a geladeira de madrugada. Não como um prato transbordando de comida. Não me entupo de massas. Não como doces o dia todo, nem frituras. Então, porque sou gorda? Porque cometo deslizes. Uma fatia de pão a mais, um doce que não deveria comer, uma bala, um bombom. E o organismo parece absorver cada caloria e estocar em forma de gordura.  

Sabem qual a visão que eu tenho do gordo? Aquela pessoa com roupa justa, cheia de pneus, a barriga caída, suada, com uma coxa de frango frito numa mão e um pedaço de bolo na outra, e a cara toda lambuzada. Perceberam o preconceito que há dentro de mim mesma? Me vejo assim. Mas eu não sou assim!!!! E ninguém é, essa é uma imagem que a mídia nos vendeu por anos e anos com filmes cheios de estereótipos. E que nós alimentamos dia após dia. Só para depois sofrer com isso.

"Ah, faz uma caminhada." Sim, preciso caminhar. E vencer a vergonha de ser vista. E vencer a dor terrível nos meus pés ao caminhar ligeiro.Terrível mesmo. E vencer a falta de ar de quem não faz uma atividade física decente há anos. Mas as dores realmente são a pior parte. Desde que passei do meu limite máximo de peso, meus pés têm doído absurdamente. É inexplicável o quanto doem. Depois de chegar do trabalho, de onde venho à pé quando posso, para pelo menos fazer uma caminhada, sento um pouco, vejo televisão, e depois, na hora de levantar, a dor é quase insuportável. Preciso parar, respirar, e ir devagarinho até a dor aliviar. TODOS OS DIAS é isso. 

Sim, tenho motivos suficientes para querer uma mudança radical JÁ. Pareço uma velha num corpo de 29 anos. Até quando vou aguentar isso? Até quando meu marido vai aguentar? Não sei. Mas há dias em que sinto que não tenho forças para lutar contra mim mesma. E nem há mais remédios no mercado para que eu fuja pra eles. Juro que, do jeito em que estou, eu toparia na boa tomar remédios pra emagrecer. Depois eu ia ver o que faria pra manter. 

Não adianta, quem não está na MINHA pele, não entende. Quem não está na NOSSA pele não entende. A visão que (eu acho) as pessoas têm do gordo é uma: uma pessoa fraca emocionalmente que passa comendo Kgs de alimentos gordurosos o dia todo. Mas a realidade nem é tão simples, nem tão óbvia. Na verdade, a maioria dos casos fogem a este estereótipo. O emocional conta muito mais que qualquer outro fator. Um emocional saudável dá forças para o corpo lutar. E não, meu emocional não está saudável.

Quem me conhece sabe há quanto tempo luto contra a depressão. Clinicamente falando, com remédios e tudo o mais. E na grande maioria do tempo eu consigo ao menos me manter estabilizada. Nem feliz demais, nem triste demais. Mas há os dias como hoje, em que me sinto sozinha no mundo, sem ter pra onde correr. E sinto que as poucas mãos que me estendem não são capazes de me fazer sair disso. 

E acho mais triste ainda dizer isso sendo uma pessoa religiosa como sou. Eu não deveria me sentir assim. E peço a Deus todos os dias por ajuda. Sei que Ele me ajuda, porque tenho certeza de que, sem ele, já teria desistido de tudo. Mas minha fé ainda é pequena, menor que um grão de mostarda. E sinto que só Ele é capaz de me ajudar.

Acho que isso passou de um post para um tratado. E infelizmente sei de pessoas que lerão isso com olhar de alegria e comemoração por me ver nesse estado. Poderia deixar recados, mas por hora prefiro focar em mim mesma e em ficar bem, e deixar pra lá quem tem capacidade de comemorar esse tipo de coisa.

Poderia falar mais, mas isso iria virar uma lamúria sem fim.

Beijos, perdão por esse texto, e torçam por mim, eu preciso mesmo.



21/08/2012

Fotos, notícias e alguma coisa mais...

| |
Oooooi turma! Olha eu, ainda meio rara por aqui, mas uma hora eu entro no ritmo novamente. Então, como vai a semana de vocês? Por aqui aquela correria, mas consegui passar um final de semana mais calmo e organizado. Até faxinei meu quarto! Olha que coisa!

Deixa eu contar pra vocês como foram as exibições do documentário do excelentíssimo. Em todas as manhãs (terça e sexta) tivemos o cinema lotado. Tem mais de 400 lugares. A maior tela do Rio Grande do Sul. Na primeira exibição o som ficou meio abafado, o local é grande e alguns depoimentos ficaram meio baixos. Ao meio-dia marido mexeu no áudio e melhorou bastante. Mas um dos depoimentos ficou meio "enrolado" ainda. Na televisão, com uso do DVD, o áudio fica supimpa, mas nesta sala do cinema abafou um pouco. Havíamos testado na sala 2, com menos lugares, então decidiram exibir na sala 01, pois havia muita gente inscrita. Aí decidimos legendar. E lá fui eu, uma noite todinha ouvindo o áudio e digitando as legendas, depois ele aplicou ao documentário e ficou ótimo! Perceberam que ele fez o documentário praticamente sozinho, né? Ele filmou, entrevistou, editou os vídeos, o áudio, eu ajudei só no "apoio moral" e nas legendas. Não é porque é meu marido, mas né, o homem sabe fazer um milhão de coisas (que não me leia pra não ficar metido, rs), e tudo bem feito. Continuando, na sexta pela manhã, ao chegar no cinema, havia uma fila enorme esperando a abertura das portas. Na terça e quinta à tarde foi menos gente, mas foi bacana igual.

O que me irrita (porque eu fico brava mesmo, não triste) é ver o quanto a mídia desvaloriza esse tipo de ação. O primeiro trabalho desse gênero na região, suado, mais de um ano de pesquisa, muitas descobertas. Pergunta se alguma rádio apareceu? Pergunta se a RBStv deu as caras? Tivemos a Semana Cultural do Município, organizada pela Prefeitura Municipal, com muitas exposições, apresentações e afins, e simplesmente não tivemos cobertura na mídia. Agora, pra fazer reportagem de cabrito mamando numa cadela, isso fazem. Eu fico irritada mesmo, porque quem trabalha com cultura é desvalorizado, a cultura não é apoiada, a população muitas vezes nem fica sabendo. Enfim, já passou. Mas fica aqui meu protesto. 

Pessoal chegando para a sessão de estreia. 
Documentário começando.
Um dos depoimentos.
Ah gente, eu sei que poderia pegar as imagens mesmo, mas vão essas do celular, tiradas da primeira fileira, muito mais emoção, kkkkkk...

Por aqui os ipês andam cada dia mais lindos e floridos. Quero ver se fotografo, com a câmera mesmo, pra vocês verem. Meu nariz deveria estar reclamando de tanto pólen, mas miraculosamente ele está comportados, então, comemoremos o acontecido, e que permaneça assim.

Ipê roxo.

Ipê amarelo.
Vocês sabiam que o ipê amarelo é a árvore-símbolo do Brasil? Pois então, é. Ela costuma florescer em setembro, na época da semana da pátria. Mas com esse tempo maluco, faz bem uns 2 anos ou mais que as floradas se anteciparam. Essas flores duram poucas semanas, logo caem todas. Mas são lindas demais, e tem pela cidade toda!

As aulas de inglês vão indo bem. A professora é bem bacana, e quero enfim desempacar. Tenho muito vocabulário e tal, sou até boa nas pronúncias, mas ainda me atrapalho na gramática. Agora vamos progredir né. Vamos sim. 

No mais, só a correria, à qual já estou me acostumando. E tudo vai correndo muito bem, melhor do que eu previa. Por mais que eu tenha meus momentos de tristeza e desânimo, as coisas estão andando bem demais desde o começo do ano. Não posso reclamar. Os revezes da vida me fizeram mais forte e um pouco mais dura. Mas a gente precisa tomar umas pancadas pra criar casco né? Então tá tudo bem.

Eu sei que tinha algo para falar/escrever mas juro que esqueci. Minha cabeça ainda anda avoadinha, perdoem, rs.

Um beijo enorme pra vocês e bom início de semana!

13/08/2012

Busy, Busy

| |

A coisa por aqui anda tensa turma! Hahahahahaha... Tô numa correria danada, e isso já falei, mas arrumei mais coisas para acabar com meu tempo de vez, que irmão movimentar minha vida também.

Durante o dia estou ainda no trabalho anterior, à noite tocando os projetos dos clientes nas mídias sociais (e viva as postagens programadas!), o que me consome bastante tempo. Hoje começo a fazer aulas de inglês, serão duas aulas semanais, segundas e quartas. E me inscrevi em um curso de Pedagogia Empresarial. Haja tempo! No meio disso tudo dou uma varrida na casa aqui, uma lavada de roupa ali, faço uma comidinha acolá, encomenda de cupcakes e estou sem nem esmalte nas unhas, rs. Trabalho até nos finais de semana, só tiro sexta a noite e sábado durante o dia para descanso. Mas sabem, isso tudo tem me feito bem. Estou bem feliz comigo mesma e tudo está indo muito bem, nossa empresa crescendo, nossos projetos dando resultados, clientes felizes, tudo bacana demais. Acho que está aí minha vocação, hein? Feliz mesmo.

O final de semana foi super corrido. Muito. Almoço com os sogros, formatura de uma amiga, montar cesta de café da manhã, jantar, meus pais vieram passar o domingo em casa, cozinha, faz comida gostosa pra eles, dá atenção, estende roupas no varal, à noite mais trabalhos domésticos e mais trabalho "de verdade", ufa! Cansei só de falar. Que delícia!

Na dieta pequei no petit gateau com sorvete de ontem e pizza à noite, despedida dos cunhados e da minha Laurica linda, que voltaram pra SP. Fiquei de postar umas receitas no blog de receitas e fiquei só no blá-blá-blá, me enrolei toda e não postei nada. As fotos continuam esperando, rs.

Amanhã, no Cinema Cisne, em Santo Ângelo, estreia o documentário do excelentíssimo senhor meu marido: "Adamovich - Vida e Obra", que traz uma pesquisa mais aprofundada sobre a vida de Valentim Von Adamovich, que fez a frente da Catedral Angelopolitana, mas foi esquecido pela população e cultura locais. Um trabalho de mais de um ano de pesquisas intensas e in loco, e vários outros anos de pesquisas bibliográficas. Sessões às 9h e 14h, na terça e sexta-feira.

Pra resumir o FDS, fotos, devidamente postadas no Instagram (e que, provavelmente vão estar fora de ordem, pois uparei todas de uma vez, rs)::

Ainda não entendi qual a intenção real, mas são muitos pares de tênis pendurados em uma árvore.

Logo da empresa. ^^

Essa foto não é de agora, é do meu casamento, mas postei em homenagem ao meu papis.

Porta-canetas do marido, rs.

Cupcake da encomenda, prontinho.

Chaveiro, ganhei do sogro.

DVD do documentário do marido, prontinho. S2

Lembrancinha da formatura da Greisy.

Petit Gateau com sorvete, fiz para meus pais. E comi, claro, rs.

Laurica fazendo sucesso com meus óculos.

Irmãzinha feliz com o copo novo. Mereço esse copo? Kkkkk

Revista Plastic Dreams, da Melissa.

Cupcakes recheados e cobertos.

Pijamas. ^^

Greisy, mais nova Engenheira Civil do pedaço. ;)

Três balinhas. Mas ganhei na Páscoa, então isso significa que tenho comido menos doces?

Visita à construção da casa dos sogros.

Marido lá no finalzinho do terreno.

Pai e Danny, aqui em casa.

Essa daí (Danny) ligou o modo risadinha, bem boba, kkkkk

Com massa que sobrou dos cupcakes, fiz esse "cupcakezão" pro marido, rs.

Euzinha, gorducha e "oculozuda", mas bem feliz. 


Beijos turma, até mais!

08/08/2012

Das coisas que gosto, mas não assumo

| |
Ou assumo, mas tenho preguiça de desenvolver...

Estou participando do Ideias Coletivas - a primeira postagem coletiva do Volta, Mundo Blogueiro! O Volta, Mundo Blogueiro é um projeto voltado para o resgate daquela velha "blogosfera" esperta, marota, de raiz, sacaram? Eu sinto um pouco a falta da época em que os blogs eram cantinhos onde falávamos sobre o que gostávamos, o que não gostávamos, e os produtos que apresentávamos eram aqueles que usávamos no dia a dia mesmo. Sem um milhão de testes, uma coisa mais espontânea. Aquela troca de visitas, selinhos, memes... Não que os selinhos e memes fossem a melhor parte eu achava um saco, mas movimentavam os blogs de uma maneira mais parceira.

Não havia toda essa doideira de ler dez mil livros por ano, fazer quinhentos sorteios ou testar trezentos tipos de batom, rímel e base, ou looks do dia. Ou melhor dizendo: havia tudo isso, mas de uma forma espontânea.   Não estou dizendo aqui que sou contra tudo isso, até porque sigo vários blogs de leitura, make up, esmaltes e afins. Mas às vezes parece que os blogs se resumiram a promoções, corridas por leituras e testes de produtos novos. Enfim, cada um sabe de si e pra que lado segue. Mas achei o projeto válido e muito, muito bom.

Então vamos à postagem coletiva em si. O tema é: "Gosto, mas não assumo!". Vamos lá. Gosto de tantas coisas! Mas todos temos algo que preferimos não assumir, seja por não ser bem aceito por outros, ou por não fazermos bem e não querermos ser julgados. No meu caso, é o desenho. Quando criança, sempre AMEI desenhar. Coisinhas bem bobinhas e infantis, claro. Fiz até uns cursos de desenho, e aprendi muito com um livro chamado "Como desenhar com o lado direito do cérebro" ou algo assim. Lembro que a capa era laranja, nem lembro o autor (e até pesquisei, mas os resultados não foram satisfatórios e, na dúvida, deixemos assim). Era a louca dos livros que ensinavam a desenhar o corpo humano e mangás, meu irmão e eu comprávamos dezenas destas revistas, rs. Mas lembro de ter evoluído bastante. 



Mas então, conheci meu excelentíssimo esposo, que era um desenhista/pintor de mão cheia e, ao invés de aprender com ele e me empenhar, deixei o desenho de lado de vez e fui me acanhando. Ele sempre me incentivou, puxou, mas eu me sentia travada, porque já não achava os desenhos muito bons, e com os dele tão detalhistas e bem feitos, murchei. Eu ainda desenho de vez em quando. Até queria passar uns pro Corel, mas primeiro tenho que passar duzentos seriados do notebook para DVD e então liberar espaço suficiente no meu HD para o programa funcionar satisfatoriamente. E travei de vez todo esse processo por motivos de: morro de preguiça. Faço tanta coisa e quero fazer tantas mais, que parece que isso não é bom ou importante o suficiente para me empenhar.


Tipo, acho meus desenhos bestas, sem graça, sei lá. Eu tinha cadernos e mais cadernos, blocos e mais blocos lotados de desenhos, agora quase nada, rs. Bom, mais um desenho pra vcs verem:


Acho que é isso, tá aí o post, assumi meu lado desenhista frustrada, hahahaha! Ou nem tanto, acho que nem sou frustrada, só meio perdi o gosto pela coisa.


Beijão!

07/08/2012

Crafts para o Dia dos Pais

| |
Então, vou variar um pouco os assuntos do blog pra deixar ele de vez com a minha cara, já que minha vida não é só reclamar de insônia, depressão e dieta né, rs.

Eu a-do-ro decoração. E sou uma pessoa frustrada por meu apartamento ser muito pequeno e não poder usar mais coisas. AMO organização, mas não sou organizada e preciso achar um jeito de deixar meu apartamento com uma carinha mais arrumada e menos lotada. Vamos ver, prometo pensar linda e empenhadamente no assunto e ir mostrando pra vocês as soluções que encontro, ok?

Mas eu nem ia falar de decoração (ou ia?), queria é falar da  Martha Stewart, a rainha dos crafts e ideias bacanas, de quem sou fã. Lembro de quando era pequena e minha professora ensinou a fazer uma "camisa" de lenço para dar para os pais. Então fui lá no site da MS, e encontrei um monte de cartõezinhos fofos! E encontrei o de camisa!!!


Esses são de papel, mas lembro de termos feito com lenços bem bonitos, só a gravata que era de papel. Aí no verso colocávamos um cartãozinho simples, e embrulhávamos com filme plástico e uma fitinha fofa.  No site tem o passo a passo, mas está em inglês. Então dei uma procurada e encontrei o passo-a-passo  AQUI, bem simples. Quem tem filho pode fazer junto com os pequenos. Quem não tem pode fazer um cartãozinho pra acompanhar o presente. 

Fica lindo! Quem fizer aí me conta! Acho que vou fazer!


Beijão!

05/08/2012

Emagreci e fiz um monte de coisas!

| |
Oi turma! Então, estou numa correria tão grande, mas TÃO GRANDE que acho que enfim vou começar a me organizar, rs. Vou contar um pouquinho do que anda rolando por aqui, senta que lá vem a história!

Vamos começar pela perda de peso. Todo esse tempo da minha "retomada", antes do efeito ioiô. Perdia X Kgs, engordava novamente, perdia mais X engordava e sendo assim as coisas não andavam tendo muito progresso. No entanto, a Pholia Magra e o Psyllium deram um ânimo novo à minha dieta. Explico: minha fome/vontade de comer diminuiu consideravelmente. Em duas semanas de uso efetivo, perdi 2Kgs. Mas vejam bem, a maior perda se deu nas medidas. Eu tirei as medidas no dia em que comecei com o Psyllium, e antes já havia colocado no blog lá do Dieta e Saúde, e elas não haviam mudado (só o meu peso que havia arredondado nos 108Kgs, aff). Ficou mais ou menos assim:






........ANTES .....................................DEPOIS........
 Peso ~> 108 Kgs ...................... Peso ~> 106Kgs
Coxas ~> 74 cm......................... Coxas ~> 73 cm
Braços ~> 40cm......................... Braços ~> 38 cm
Cintura ~> 114 cm...................... Cintura ~> 107 cm
Quadril ~> 133 cm...................... Quadril ~> 132 cm
Peito ~> 116 cm......................... Peito ~> 116 cm








Bacana hein? Percebam a diferença MARA na cintura ou seja PÂNCEPS! Tô no céu. O bacana mesmo, é essa coisa de não só não ter fome, mas não ter vontade de comer. Vocês sabem bem a diferença que isso faz na vida da gente, hein? Porque não ter fome é fácil. Mas não ter nem vontade de beliscar porcaria, isso é uma coisa deliciosa! Consigo controlar legal o que e quanto como. Claro né, não é tudo lindo e perfeito todos os dias, mas os resultados estão aí pra comprovar que funcionam. E isso dá mais ânimo pra continuar na linha. 

Meus dias andam bem doidos. Marido e eu assumimos a dianteira da Efe3 (logo o site estará no ar), agência de comunicação, e estamos com bastante trabalho. Posso dizer que agora, oficialmente, sou uma analista de mídias sociais, rs. Estamos empenhados nas mídias sociais (Facebook e Twitter principalmente)  de algumas empresas da região, produzindo conteúdo para seus sites/blogs, vídeos e tudo o mais. Tá puxado, porque durante o dia continuo no meu trabalho de sempre, então uso a noite para isso e os finais de semana. O resultado é que estou bem sem tempo, por desorganização mesmo, preciso me adaptar à nova rotina. Mas estou gostando muito, muito, MUITO! Quero muito que isso dê certo, por isso estou me empenhando demais, porque canso, mas faço com um prazer incrível!  Quero (e vou) continuar com o blog, e preciso me organizar no blog sobre casamentos, pois tem muita gente que curte e não quero deixar o povo na mão, mas fazem semanas que não consigo atualizar por lá, já que é um conteúdo que precisa de mais pesquisa, etc. Enfim, vou me organizando como der, já que por hora o profissional é prioridade né. 

Minha irmãzinha passou a última semana de férias aqui em casa, acho que curtiu, foi embora fazendo beicinho, rs. E no meio disso tudo, ainda fomos a um encontro de corais lindo, à abertura da Semana Cultural da cidade e essa semana teremos 4 exibições, no cinema local, do documentário produzido por meu excelentíssimo esposo em parceria com a Pref. Municipal, sobre a vida e obra do escultor Valentim Von Adamovich, responsável pelas esculturas da fachada da Catedral Angelopolitana. Enfim, um trabalho de mais de um ano chega ao seu ápice. Parabéns para meu querido marido, eu sei o quanto ele se empenha em fazer o seu melhor. Com tantas mudanças, fico um pouco ansiosa e a insônia me infernizou na semana passada. De domingo a quarta-feira não creio ter dormido 4h por noite. Na quinta-feira cheguei às 5h, e na sexta-feira e ontem dormi um sono bom, reparador, sabem? Então estou torcendo pra essa semana continuar nesse ritmo.

E antes de terminar esse texto, vi um edital pra concurso público que vai sair JÁ e me empolguei. E agora? Kkkkkkkk... Bom, como o concurso é para uma jornada de trabalho de 40 horas posso continuar na minha configuração atual de horários. VAMOS VER.

Beijos gente, boa semana para todos. ^^