22/10/2013

Brigadeiro Dukan Diet - Receitinha especial!

| |
Há alguns dias eu ando querendo fazer brigadeiro. Mas tem que ser Dukan. Tem que dar certo. Tem que ficar semelhante para eu chamar de brigadeiro. E que eu pudesse enrolar. Testei UM MONTE de receitas. Mas todas elas ficavam deliciosas, e semelhantes a qualquer sobremesa de chocolate, mas não com brigadeiro. Não com negrito - como chamamos aqui no noroeste do RS. As que usam basicamente leite em pó acabam ficando meio duras e têm gosto de... leite em pó. Enfim! Busquei receitas Dukan, mas foi na busca entre receitas diets que acabei encontrando uma luz que me permitiu testar e conseguir o ponto ideal para brigadeiro de enrolar - YAY! Essa receita é bacana também para quem tem diabetes, ok?

A primeira coisa que você precisa é fazer o leite condensado diet. A receita leva manteiga - que eu posso comer na minha dieta, mas quem faz a Dukan não. Então vamos substitui-la por essência de manteiga, ok? Acho esse "gostinho" importante no resultado final. Enfim, mãos à obra!

Leite Condensado Dukan Diet

- Ingredientes
  • 1 xícara de leite em pó desnatado
  • essência de manteiga a gosto - quem é diabético pode usar 1 colher de sopa de manteiga 
  • 1/4 de xícara de adoçante para forno e fogão
  • 1/2 xícara de água fervente
- Fazendo! 
 Misture os ingredientes, sendo a água o último. Mexa o suficiente para misturar levemente e bata no liquidificador ou mixer por um minuto ou dois. Deixe descansando por uns 20 minutos. Ele dá uma engrossada legal.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Brigadeiro Dukan Diet

- Ingredientes
  • 1 receita de leite condensado dukan diet
  • 1 colher de sopa de cacau em pó - quem é diabético pode usar 70g de chocolate diet + 100ml de creme de leite diet
  • 2 colheres de sopa de leite em pó desnatado
  • 100ml de creme de leite light
- Fazendo!
Misture os ingredientes e leve ao fogo até começar a desgrudar do fundo da panela. Quem usar o chocolate diet acrescente o chocolate picado depois que a mistura começar a endurecer.

Leve à geladeira por cerca de 30 minutos, para firmar. Enrole os brigadeiros com as mãos úmidas e passe no achocolatado em pó, ou no cacau em pó. Se você fizer Dukan, passe no cacau em pó. Quem for diabético, enrole com a ajuda de um pouco de manteiga e passe no chocolate diet picado! 

Na foto abaixo vocês verão os brigadeiros com o chocolate diet, pois fiz estes para o meu marido - que come estas coisas comigo, e diz se ficaram boas ou não, rs. Essa "consultoria" que ele dá é importante, viu? Já fiz receitas que ficaram uma CACA, rs.



Aviso: a consistência não fica como a de um brigadeiro comum. Ele fica mais molenguinha, sabem?  Mas dá pra enrolar igual. O sabor? MUITO parecido, arrisco a dizer que igual a alguns que já provei. Quem fizer, me conta?

Beijão!

20/10/2013

Onde fica o botão da "força de vontade"?

| |
Imagem: WeHeartIt

Se os cientistas conseguissem desvendar esse mistério, a obesidade ou sobrepeso sumiriam da face do planeta. Mas onde fica esse botãozinho? Porque ele aparece? Onde ele se esconde?

A maioria aqui conhece minha história. Depois do meu casamento, essa história foi quase reescrita. Casei com 63,5kgs, linda e faceira. Havia perdido 16kgs naquele ano de preparativos. Nos primeiros meses após o casamento ainda perdi mais 1kg, chegando ao meu peso mínimo na idade adulta. Mas entrei na armadilha que muitos caem: comidinhas gostosas para compartilhar com o maridão, saídas para almoçar/jantar fora. E fui ganhando peso. A cada kg ganho eu via o perigo batendo à minha porta, mas a força de vontade já não dava as caras e eu ia deixando pra começar uma dieta "amanhã". O maldito amanhã! Também passamos por alguns problemas com emprego e, consequentemente $$, e meu organismo rejeitou severamente os altos níveis de pólen da cidade, que é recordista em alergias. Para vocês terem ideia, cerca de 40% da população sofre de alergias decorrentes do pólen. Foram muitas injeções de antialérgicos, muitas caixas de anti-histamínicos. Cada vez eu ia engordando mais, e ficando mais ansiosa, e descontando tudo no prato. Comia para vencer a tristeza e o desânimo de voltar à estaca zero. Mas foi pior. Alcancei um peso que jamais havia alcançado em toda a minha vida. Cheguei a absurdos 119kgs. Em 3 anos. Quase 60kgs! Literalmente explodi! Vocês têm ideia do que isso faz com a cabeça de alguém? Muito poucos têm. 

Ouvir os comentários que ouvi, ser humilhada pelo sobrepeso, ir engordando a olhos vistos, não conseguir parar o processo, e ouvir comentários sussurrados sobre isso é extremamente doloroso. Entrei em parafuso! Mesmo com tudo isso acontecendo, minha auto-estima no lixo, me sentindo humilhada, não tive força de vontade! Iniciei várias dietas, com resultados satisfatórios até, mas desisti de todas elas uma a uma. Onde se escondeu o botão? Não sei.

No final do ano passado decidi mudar. Mais uma decisão. Passei as festas de final de ano comedida no quesito alimentação. Ali, perdi 8kgs. Em cerca de 3 meses. E parou por ali. Então, há cerca de 2, 3 meses, decidi consultar um clínico geral, a fim de fazer um checkup, ver a quantas andava minha saúde, fazer algumas "queixas" e começar um processo de reeducação alimentar. Foi aí, a partir da primeira consulta que, de uma forma inexplicável o botãozinho apareceu. 

O médico não me apresentou nenhuma novidade. De tanto ler sobre dietas e nutrição, a gente acaba sabendo meio de tudo (fazer que é bom...). Ele inclusive, me aconselhou uma das dietas que achei ser incapaz de seguir: um misto da Dukan e Atkins, puxando pra paleolítica, que corta do cardápio tudo o que eu mais amo: açúcar e carboidratos. É simples: sou uma viciada em carboidratos. AMO um pão francês quentinho. AMO um belo prato de massa. AMO chocolate branco. Mas meus exames apenas reforçaram isso. Então, sabe-se lá porque, apertei o botão e deixei o dedo lá.

Desde então já perdi 10kgs (além dos 8Kgs que já havia perdido anteriormente), e nunca mais ingeri um pedacinho de massa, pão ou coisa açucarada. Reforcei as proteínas do meu cardápio, aprendi receitas novas, me abracei aos diet e light, e só uso adoçante em tudo. Diminuí as frutas que consumia (frutose em excesso também engorda), aumentei as verduras e legumes e, acreditem, me habituei de verdade a isso.

Na primeira semana, foi punk. Meu marido não acompanhou minhas mudanças. Ele se alimenta de maneira habitual: arroz, feijão, carne, salada, pão, bolo, biscoito recheado, danette, flan, chocolate, bla bla bla. Tive que me habituar a isso. Sofri pra caramba no começo, sentia o cheiro de pão na chapa que ele fazia e ia para algum cômodo em que o odor não chegasse. Agora, sentamos na mesma mesa, ele comendo arroz, feijão, bife e ovo frito e eu bife, ovo cozido, queijos e saladinhas. Tudo tranquilo, tão tranquilo que eu nem acredito! E imaginem se não estou feliz com isso! DEMAIS!

Todos me elogiam, minhas roupas estão sobrando, as pernas muito mais finas, a barriga então... a cintura está voltando! Pneus sumindo, olha, só vantagens! Um pequeno "antes e depois" - que na verdade é durante - só para vocês terem ideia. Só de rosto.



Mas eu não posso passar uma receita, pois fiquei anos sem conseguir fazer isso. Por isso jamais vou criticar quem não tem força de vontade. No fundo, a força de vontade não é um botão que liga e desliga. É algo mais íntimo, mais internalizado que isso. Não é simples e a gente literalmente nunca sabe quando vai ter. Mas é preciso começar e parar, recomeçar e então começar mais uma vez! O que a gente não pode é desistir. 

Sei que, depois da maior derrota da minha vida, estou disposta a comemorar a maior vitória. e mantê-la, o que é mais importante.

 Vem comigo?

Beijos.

13/10/2013

Pão de farelo de aveia Low Carb Dukan - Receitas de forno

| |
Eu faço esse pão desde que entrei na dieta. É um pão gostoso, que já fornece os farelos diários necessários (e, dependendo da quantidade que decidir comer, ainda sobra um farelozinho para alguma outra coisa). No início da dieta pesquisei diversas receitas. Esta encontrei no canal Dukan do YouTube. Mas ele não ficou legal da primeira vez que fiz. Segui as medidas direitinho, utilizando medidores culinários e tudo e a massa não ficou com a textura  nem de perto semelhante à textura mostrada no vídeo, ficou muito líquida, o pão meio que esbugalhava, sabem? Enfim, não ficou legal. Então pensei, pensei, pensei... opa! Porque não adicionar o farelo de trigo para dar mais firmeza à massa e, de quebra, dar aquela ajudazinha prometida por esse farelo na questão intestinal? Bingo! Então, basta acrescentar o farelo de trigo proporcionalmente à fase em que você se encontra na Dukan. Se você estiver na fase de Ataque, ponha 1 colher de farelo de trigo para cada colher de farelo de aveia. Se estiver na Cruzeiro, uma colher de farelo de trigo para cada duas colheres de farelo de aveia. A consistência da massa fica perfeita, e o resultado é um pão fofo e gostoso! Após a receita, vamos falar a respeito das porções diárias!

Então, vamos à receita? Não sem uma foto antes, claro!


Pão de farelo de aveia Low Carb Dukan

Ingredientes
  • 3 ovos;
  • 6 col. de sopa de farelo de aveia;
  • 6 col. de sopa de farelo de trigo (fase ataque) ou 3 col. de sopa (fase cruzeiro);
  • 8 col. de sopa de leite em pó desnatado;
  • 3 col. de sopa de iogurte desnatado;
  • 3 col. de sopa de leite desnatado líquido;
  • 1 col. de sobremesa de fermento em pó químico;
  • Sal a gosto;
Opcional: eu gosto de um pão mais docinho, então acrescentei 2 colheres de sopa de adoçante em pó culinário.

Modo de fazer:

Antes de fazer o pão, certifique-se de que todos os ingredientes encontram-se em temperatura ambiente. Isso melhora a qualidade ao pão e sua textura. Antes de começar a prepará-lo, ponha o forno pré-aquecer a 180ºC. Agora, vamos ao preparo.

No liquidificador, bata os ovos, inteiros, por cerca de 2 minutos, até que fiquem esbranquiçados e espumantes. Essa etapa é importante para a maciez do pão. Então, acrescente os ingredientes líquidos, um a um, batendo por 10 segundos a cada adição. Então, acrescente os ingredientes secos, exceto o fermento. Bata bem. Acrescente o fermento, e misture delicadamente, com uma espátula. 

Despeje a massa em uma fôrma adequada, do tamanho de uma fôrma de bolo inglês, ou de pão caseiro. Eu uso uma fôrma antiaderente e passo uma gotinha de óleo só para garantir que não grude mesmo (às vezes essas fôrmas nos passam a perna, não é mesmo?). Você pode usar a de alumínio normal, mas aconselho a untar um pouco mais, porque ela gruda um pouco, principalmente embaixo. Você também pode forrar a fôrma com papel manteiga e evitar a necessidade de untar. Ou utilizar uma fôrma de silicone, que dispensa gordura. 

Vai ao forno por 25 a 30 minutos. A partir dos 20 minutos é bom dar uma espiada para deixar o pão corado a seu gosto. Eu prefiro o pão mais clarinho, hoje deixei ele passar um pouco do ponto. 

Porções:

Se você decidir gastar toda sua cota de farelo de aveia com o pão, poderá comer 1/6 dele por dia na fase de ataque, e 1/3 dele na cruzeiro. Eu não faço propriamente a dieta Dukan, como vocês sabem, mas utilizo as "métricas" para farelos da fase cruzeiro da Dukan.

Esse pão rende sanduíches gostosinhos, e vai bem acompanhado de uma geleia diet!

Quem por aí fizer, me conta!

Beijão e boa semana a todos!

08/10/2013

Psoríase ou não, eis a questão...

| |
Hoje pela manhã fui à dermatologista. Há uns meses atrás tive um problema de pele bem sério. Bolhas na mão e no pé, depois descamação, coceira, infecção... Então tive uma alergia nos lábios e bochechas também, enfim, tava feia a coisa por aqui. Consultei uma ginecologista que me diagnosticou com psoríase palmo-plantar, doença incurável e que pode surgir sob forte stress. Sou professora e orientadora educacional, ou seja, stress faz parte do meu dia a dia. Então fiquei arrasada. Pela internet pesquisei e li mais sobre o assunto, e estranhei em nenhum lugar citar as bolhas. Porque a descamação, coceira e tudo o mais começaram com bolhas e só a partir daí o quadro avançou. Marquei consulta, então, com outra dermatologista. Após a espera de TRÊS MESES pela consulta (lembrando que tenho plano de saúde), hoje ela aconteceu. E, por coincidência, esta semana as bolhinhas começaram a reaparecer. É ruim, mas bom porque ela pôde observar o problema do seu início. 

Em resumo: ela acredita não se tratar de psoríase, exatamente pela presença de bolhas, que não é característica da doença. Observando as lesões, ela disse se tratar muito possivelmente de disidrose, que é é uma doença de pele que aparece nas mãos e nos pés afetando principalmente a parte lateral dos dedos. Ela pode surgir por stress também, mas não é tão séria quanto a psoríase e tem um tratamento mais tranquilo. Fiquei tão feliz com esse novo prognóstico! Sério, não sei nem explicar o alívio! Olhei imagens de pessoas com disidrose e são exatamente iguais ao que tenho, então tenho quase certeza de que é isso mesmo!

Também estou há algumas semanas com vermelhidão, coceira e ressecamento nas bordas dos lábios e ao redor. Tenho usado Bepantol, que não alivia nadinha, só a questão do ressecamento mesmo. Ela disse ser uma simples dermatite de contato e que provavelmente é algum batom que usei. Então, após o fim do tratamento, é para eu testar cada batom, por uns 15 dias cada, direto o mesmo, para descobrir qual me deu alergia. Claro, se for alergia de algum batom, lógico.

Então, fica a dica: quando receber algum diagnóstico, vale a pena dar uma espiada em sites confiáveis da internet e, se a dúvida persistir, buscar uma segunda opinião. Mas lembrando sempre de que o médico é o único que pode dar um disgnóstico preciso e que sair Googlando tudo pode criar nervosismo à tia também. Muita calma nessa hora e ponderação.

Beijão gente!

07/10/2013

Pão de Ló Dukan da Jô - Receitinhas de forno

| |
Vejam bem, cá estou eu, me empenhando para postar mais frequentemente! Adiantei algum serviço no final de semana para que à noite me sobrem uns minutos para vir aqui, e visitar algumas de vocês! O dia a dia tá corridíssimo, mas um dia eu me acostumo e me organizo melhor! Hoje eu trouxe mais uma receitinha Dukan, que fica MUITO gostosa, mata a vontade de um docinho, de um bolinho, nham! A linda que passou essa receita foi a Jô, do blog Meu Emagrecimento, que é referência entre as dukanianas brazucas (e minha conterrânea, e quem sabe futura vizinha, e blogueira amiga de muitos anos). Fiz algumas modificações para "mesclar" o bolo e foi só. Ele é muito gostoso! Leva tolerados (amido de milho e achocolatado) então é preciso dividir a receita. 

A receita da Jô é para uma fôrma menor. Eu uso uma fôrma de bolo inglês (ou de pão, como minha mãe diz), e gosto dele altinho como um pão caseiro, então sempre faço a receita dobrada e vou passá-la assim, ok? Quem curte o bolo mais baixinho, só fracionar a receita pela metade, certo? Mas antes, que tal uma foto para ver o que os aguarda?


Fica muuuito gostoso! O que eu fiz anteriormente, de chocolate apenas, ficou muito melhor, mais macio, acho que dessa vez eu não estava com a mão boa, mas ficou delicioso também. Muitos fazem receitas Dukan e reclamam que são ruins e não lembram o sabor dos alimentos na versão "purpurinada", mas esse é nada menos que um bolo mesmo, tão gostoso quanto! E olha que sou boleira metida, hein? Mas vamos à receita?

Pão de Ló Dukan da Jô

Ingredientes - Básico
  • 06 ovos;
  • 18 colheres de sopa de leite em pó desnatado (usei o Molico);
  • 4 colheres de sopa de amido de milho;
  • 8 colheres de sopa de adoçante em pó (usei o Tal & Qual);
  • 2 colheres de sopa de fermento químico (Royal);
Ingredientes Extra
  • Você pode fazer o bolo "branco", simples, ou acrescentar as essências que preferir (baunilha, nozes, coco, etc);
  • Se quiser fazer o bolo de chocolate, acrescente 1 colher de sopa de cacau em pó (quem faz a Dukan deve usar o cacau em pó que é tolerado, ao contrário de achocolatados diet que não são permitidos na dieta);
  • Se quiser fazer o bolo mesclado, como eu fiz, separe a massa em duas, antes de acrescentar o fermento, e em uma das metades acrescente 1/2 colher de sopa de cacau em pó.
Como fazer

- Pré-aqueça o forno a 200ºC.
- Dos ovos, separe as gemas das claras e bata as claras em neve.
- No liquidificador (ou batedeira) misture as gemas, o amido de milho e o adoçante. Misture bem.
- Acrescente as claras em neve, à mão, delicadamente, para preservar a leveza das claras. Essa etapa é que vai deixar seu bolo macio e aerado.
- Por fim, acrescente o fermento.
- Use uma fôrma antiaderente, de silicone, ou unte muito levemente uma fôrma de alumínio. Indico as duas primeiras porque dispensam o uso do óleo. Despeje a massa delicadamente, alise a superfície e leve ao forno por 20 a 25 minutos. 

Porções

Para quem faz a Dukan, temos aqui alguns tolerados: amido de milho e cacau em pó, no caso de quem fizer o de chocolate. Há também o leite em pó desnatado, que é meio que um enigma no Brasil, pois aqui o Molico é liberado à vontade, mas muitas meninas preferem utilizá-lo como tolerado. 

Bolo branco - Se você só comer este bolo e mais nenhum tolerado neste dia, deverá dividi-lo em 4 porções, cada uma contendo um tolerado. Se usar apenas isso como tolerado, pode comer, então, metade do bolo. 

Bolo de chocolate - Se você só comer este bolo e mais nenhum tolerado neste dia, deve dividi-lo em 7 partes, cada uma contendo um tolerado. No máximo duas partes por dia, sem consumo de mais tolerados no dia.

Mais uma foto da delicinha:


______________________________________________________________

Eu andei pesquisando, e descobri que o amido de milho pode ser substituído por farinha de trigo em receitas. E como a farinha de trigo pode ser substituída pela PIS (Proteína Isolada de Soja), tentarei trocar o amido de milho por PIS na próxima vez que eu fizer esta receita. Quando fizer, conto pra vocês se deu certo, ok?

Bom, era isso turma! Façam e me digam o que acharam da receita!


Beijão!

05/10/2013

Vamos falar sobre saúde? Outubro Rosa 2013

| |

Que a prevenção do câncer de mama é importante, isso é assunto que a gente não precisa sequer discutir. Por isso, o mundo todo elegeu o mês de outubro, e o símbolo do laço rosa, como momento para intensificar e investir em ações contra o câncer de mama. As campanhas visam estimular o auto-exame das mamas, os checkups ginecológicos periódicos, e as mamografias a fim de que haja uma detecção precoce dos casos de câncer, o que aumenta e muito a chance de cura. 

Para vocês terem ideia, em 2011 e doença fez 13.225 vítimas só no Brasil. É muita gente! São muitos casos e, a cada dia que passa, descobrem-se mais e mais vítimas entre as pessoas que nos rodeiam. 

A irmã da minha sogra teve câncer de mama. Descobriu em um exame de rotina, quase no início. Precisou retirar a mama toda e fazer muitas sessões de quimio e radioterapia, mas encontra-se em remissão. Quando ela descobriu o câncer, minha sogra decidiu ir a uma ginecologista, à qual ela não ia há muitos anos. A médica sentiu um carocinho, bem na base da mama, muito pequeno, e que era quase no tórax. Solicitou uma mamografia. Não encontraram nada. Pra desencargo de consciência, solicitou também uma ecografia. Então, o caroço foi visto. Pequenininho, escondidinho, quase fora da mama. Mas estava lá. O resultado da punção foi inconclusivo, então decidiram retirar o caroço, e realizar um exame mais detalhado, que mostrou a malignidade. Então, foi necessário retirar uma parte da mama, cerca de 1/3, como precaução e para análise do tecido a fim de detectar se o tumor havia infectado os tecidos ao redor. Também retiraram o linfonodo sentinela e mais um, procedendo o esvaziamento axilar (estes linfonodos indicam se há necessidade de quimio ou radioterapia, pois mostram se o câncer evoluiu, e a única maneira de fazer a análise é com sua retirada). Como o tumor era muito pequeno, os tecidos não haviam sido infectados, nem os linfonodos, minha sogra precisou fazer apenas 4 ou 5 quimioterapias semanais e 40 radioterapias diárias, e então foi liberada, e encontra-se em remissão, apenas tomando diariamente um remédio que combate o surgimento de novas células cancerígenas.

Vejam bem que isso só foi possível com a detecção precoce do tumor. E percebam que o tumor era muito pequeno, tanto que só foi detectado pela ecografia. Portanto, o exame de toque da mama, e os exames ginecológicos são extremamente importantes para a cura. Além, claro, da adoção de hábitos de vida saudáveis.

Muitas são as histórias de pessoas que padeceram frente a essa doença. Hoje vim contar para vocês, casos de superação. Porque dá pra reescrever histórias desse jeito. Mas é preciso se cuidar, se conhecer, se tocar. Faça o auto-exame das mamas. Você merece esse carinho.

Beijos.