03/01/2014

O que fazer quando nosso maior inimigo está dentro de nossa cabeça?

| |

Sabem, a maioria das pessoas que estão aí, na luta contra o sobrepeso, tem uma história bem difícil. Bullying, preconceito, baixa auto-estima, problemas de saúde, depressão, etc, etc... Cada um sofre a obesidade a seu modo. 

Muitas convivem com o sobrepeso desde pequenas, e essa caminhada sofrida já enraizou muitos maus hábitos, muitos traumas, muita insegurança. Outras pessoas viveram sem o sobrepeso, e por algum motivo acabaram engordando e não conseguem sair dessa situação. É tão difícil quanto! Não importa de que maneira o sobrepeso chegou a cada uma. Ele se instalou e a maioria não encontra forças para vencê-lo. 

Por mais que a sociedade viva um momento onde diversas pessoas decidiram se aceitar melhor, do jeito que são, onde as modelos Plus Size vêm encontrando cada vez mais seu espaço, o obeso ainda sofre bastante. Há pessoas que se aceitam melhor, que têm acesso a roupas mais bacanas, que são relativamente saudáveis. Mas a realidade da grande maioria é outra. O preconceito existe.

O mais triste é que muitos ex-obesos se tornam algozes daqueles que ainda não chegaram ao peso ideal. Tecem comentários maldosos, pejorativos, humilham, como se ter saído da obesidade os tornasse superiores. Quanta gente "famosinha" na internet faz isso! Fica dando puxão de orelha ofensivo, como se isso servisse de estímulo. Chamando obesos de preguiçosos, gulosos, etc. E quem ainda está na luta fica ali, acabrunhado, triste, e ainda mais fraco pra lutar.

O fato é que nosso maior inimigo é a nossa cabeça. Nossa vontade, nossos desejos, nossa falta de controle no comer, tudo isso vem dela. A depressão, a ansiedade, o nervosismo, tudo surge ali, na danada. E o que fazer? Como vencê-la?

Gente, se eu ou qualquer pessoa disser que é fácil, é mentira. Se fosse fácil eu não teria ganho quase 60 kg em 4 anos. Se fosse fácil não teria passado a maioria da minha vida acima do peso. Se fosse fácil, ninguém faria dieta. Ninguém usaria remédios para emagrecer. Ninguém se submeteria a cirurgias de redução de estômago. Porque ninguém estaria acima do peso, simples assim. 

Mas ficar parados, nos lamentando, e pensando no quanto somos fracos, feios, estúpidos, ou seja lá quais forem os adjetivos que nos demos, não vai resolver o problema. Pelo contrário, vai piorar. A auto piedade nunca ajudou ninguém. 

Mas como começar uma mudança? Dentro de você. E nenhuma mudança começa da noite para o dia. Você precisa ter calma, paciência. Pare de pensar em perder 5 kg em uma semana. Pare de pensar no quanto vai sentir falta de chocolate. De pizza. 

Quando parei de ter pena de mim mesma, de achar que a culpa era só dos remédios, da ansiedade, do mundo, consegui assumir minha parcela de culpa no meu sobrepeso, e percebi que só eu podia mudar essa situação. Também parei de querer a perda de peso pra ontem, e encarei como um processo gradativo, que deveria acontecer, mas no tempo certo. Foquei em ter saúde e, então, fui mudando uma coisa aqui, uma ali... Também comecei a me cuidar mais, a gostar mais de mim, a ver que ainda havia alguma beleza em mim. Aos poucos fui me fortalecendo. Vejam bem, até um pouco mais da metade do ano perdi 9 kg. Isso, cerca de 1 kg por mês, um pouco mais. Mas esse processo, lento assim mesmo, é que me deu forças para enfim entrar numa dieta mais puxada e conseguir os resultados que venho obtendo. O que você pode fazer, DE FATO?
  • Diminua as porções de comida, devagar. 
  • Acrescente verduras e legumes ao prato. Não gosta? Acrescente um a um, aos poucos. Eles são importantes!!! 
  • Deixe os refrigerantes para o final de semana! Mesmo o zero, hein? Vai por mim, refrigerante não vale a pena. E COCA-COLA NÃO VICIA. O que vicia é a nossa mania de bebê-la. Eu amava Coca-Cola. Meu marido se julgava viciado em Coca-Cola. Paramos. Ninguém sofreu demais. Passamos vontade nos primeiros dias, mas logo essa vontade passou. E, 3 meses depois, resolvemos tomar um copo e... gente... não vou dizer que é ruim, mas é algo perfeitamente dispensável. O paladar acostuma sem e ela não parece mais aquela coisa maravilhosa, sério, rs...
  • Beba mais água. Comece com 1 litro, se você não toma isso. Então aumente a quantidade aos poucos. Vai te fazer bem!
  • Compre um hidratante bem cheiroso. Tome um banho demorado, massageie o corpo. Relaxe. Use aquele seu perfume que você adora. Mesmo pra dormir!
  • Cuide do seu cabelo. Compre um bom shampoo - lembrando que shampoo bom não precisa ser caro -, um condicionador para o seu tipo de cabelo. Se a grana está curta, faça você mesmo uma boa hidratação.
  • Faça suas unhas! Você mesma, se precisar!
  • Tire fotos suas. 10, 20, 100, até que uma saia do jeitinho que você quer. 
  • Use rímel. Depois você evolui para outros itens, mas use rímel!
  • Deixe o chocolate pra amanhã. Depois pro final de semana. Então, só pra ocasiões especiais. 
  • Deixe as frituras também pro final de semana. E depois deixe para uma eventualidade apenas.
  • Caminhe pelo bairro no final de semana. Depois, 2 vezes por semana. Vá aumentando até caminhar de segunda a sexta-feira pelo menos. 
  • Seja coerente! Não adianta reclamar que não consegue emagrecer, se encher de auto piedade e ficar postando nas redes sociais foto de batata frita, refrigerante, chocolate.
Existem diversas outras dicas! Mas vocês entenderam o processo? Um pouquinho de cada vez. Uma mudança de cada vez. E vai chegar aquela hora em que você perceberá que - agora sim - dá pra começar uma dieta mesmo. E você vai conseguir.

Não escute aquela pessoa que insiste em dizer que você é preguiçosa. Pare de curtir a página daquela moça que emagreceu 150 kg com dieta e exercícios físicos que fica puxando a sua orelha de um jeito que te incomoda. Você não precisa se sentir por baixo de ninguém. Você precisa se sentir como os outros. Tão digna(o) de amor e felicidade quanto qualquer um.


Beijão!
Comentário(s)
Comentário(s)