05/11/2014

Refrigerante x Saúde

| |

Há vários meses tenho reduzido a praticamente zero meu consumo de diversos itens que costumava consumir habitualmente. O principal motivador é a busca pela saúde. Tenho levado isso bem a sério, e devagar vou implementando cada vez mais mudanças ao meu dia a dia. Alguns itens que tenho conseguido praticamente não utilizar:
  • embutidos (mortadela e afins, salsichas, patês, etc);
  • queijo;
  • sucos industrializados;
  • caldos em pó;
  • temperos industrializados;
  • refrigerantes.
Mas hoje quero falar sobre a decisão que achei mais difícil, mas que foi a mais consciente de todas: a redução do consumo de bebidas industrializadas, principalmente os refrigerantes. Desde criança sou habituada com o consumo de refrigerantes. Eles nunca se mostraram tão ruins quanto são na verdade. Quando iniciei a dieta no ano passado, passei a utilizar apenas refrigerantes zero açúcar. Com o passar do tempo e estudos diversos, percebi que os refrigerantes zero são ainda piores que as versões tradicionais. Mas o principal vilão do refrigerante não é o açúcar. É seu altíssimo poder acidificante do organismo. Resumindo: as doenças, cânceres, tumores e afins se desenvolvem mais facilmente em ambientes ácidos. Ao contrário disso, em ambientes alcalinos, elas tendem a diminuir. E é só olhar no rótulo da maioria das bebidas industrializadas (sucos até) que lemos entre os ingredientes os malditos acidulantes

Bom, melhor que qualquer explicação que eu possa dar, segue um trecho de uma palestra do Dr. Lair Ribeiro, médico nutrólogo renomado que fala sobre isso. Infelizmente a qualidade do vídeo não é muito boa, mas seu conteúdo é valiosíssimo. Não é um vídeo longo: tem cerca de 15 minutos. Peço a você que assista com atenção.


Eu sei que no mundo da medicina e saúde há muitas informações desencontradas. Mas eu busquei pesquisar a fundo sobre o assunto e tudo o que li só reforça o discurso do Dr. Lair Ribeiro. 

Já fui da turma que acha que a vida é curta demais para não tomar refrigerante (ou insira aqui qualquer outro alimento que você goste muito). Mas por mais curta que ela seja, tenho desejado que tenha qualidade suficiente para não me trazer mais sofrimento que o necessário. 

Ainda não consegui cortar totalmente. Em festas ou jantares, eventualmente bebo um copo, ou meio. Mas isso tem se reduzido cada vez mais e as porções estão cada vez menores. Meu marido e eu firmamos esse propósito. 

Vocês já tinham visto esse vídeo ou conheciam esta informação?


Beijão!
Comentário(s)
Comentário(s)