06/04/2015

Não tendo feito... foi lá e criticou quem fez

| |

E lá venho eu mais uma vez refletir sobre esse mundo torto. Que vivemos em um mundo de valores invertidos, não há dúvidas. Mas o mundo ser ruim não significa que precisamos nos conformar ou aceitar isso assim, de bom grado. Certo? Certo sim.

Pois bem. Foi-se o feriadão de Páscoa. E ontem à noite muitas pessoas adeptas de dietas de emagrecimento começaram a postar nas redes sociais suas "confissões" sobre o feriado e os estragos que ele causou. Até ai tudo bem, era previsto. O que me incomodou foi a ondinha bem imbecil de se inferir (e muitas vezes claramente) que quem não cometeu deslizes está escondendo algo. Tipo, se eu fiz merda é porque ninguém é capaz de não fazê-lo. Simples assim. 

Sabe, eu não tenho nada a ver com a dieta ou a vida de ninguém além de mim mesma. Evito ficar dando pitaco sem que isso seja solicitado. Vejo um monte de gente indicando coisas erradas, mostrando o erro como sendo certo, mas não é minha obrigação corrigir quem não deseje. Se alguém me pergunta algo, ou pede minha opinião sobre o assunto X, não me omito em dar minha contribuição. Mas sobre o resto eu procuro passar batido. Acontece que ontem precisei ler (sim, porque eu costumo ler os posts das redes sociais das quais participo) frases do tipo: "eu errei porque sou humana, certeza que todo mundo fez merda, mas sou bem mulher pra assumir  meus erros, ao contrário de outros que gostam de fingir uma perfeição de mentira" (frase modificada para que o autor não seja localizado, mas mantendo o sentido da mesma). Li isso e variações disso. Esse discurso babaca já está arraigado em grupos de dieta. É  a desculpa perfeita que meio que alivia o fardo da culpa. Mas minha pergunta: e como fica quem manteve a dieta? Quem não se importou em não comer chocolate? Tipo, todo mundo mentiroso?

Erro significa algo que você não considera correto no seu momento. No meu caso específico, comer chocolate seria um erro, pois na dieta que eu faço ele causa um impacto considerável e eu tenho um caminho longo pela frente, então para mim, Denise, não valeria a pena. Simples assim. Senti vontade? Senti. Mas nada torturador. Se a vontade fosse grande demais, eu teria pego um chocolate do meu marido e comido e fim. Mas optei por não fazer isso. Minha escolha. 

Aí eu preciso ler esse tipo de chorume como se eu (e todos que entraram nessa vibe) estivesse errada por me manter na linha. Vejam bem, eu não considero nenhum erro horroroso comer chocolate, sério mesmo. E não me importa realmente quem fez. Dieta é pessoal, e cada um faz se quiser. Então se para você tá tudo bem, então tá tudo bem mesmo. Mas onde, nessa equação maluca, eu estou errada - e pior, estou mentindo! - por não comer o raio do chocolate? Poxa, chamar quem manteve a linha de mentiroso é de doer. Não sou obrigada a me manter na linha, não sou obrigada a fazer dieta, ninguém é, isso é opção. Também é opção fazer dieta e sair fora em alguns momentos. Ninguém é de ferro, nem eu. Se eu me mantenho firme é porque minha motivação é forte o suficiente para isso. É porque eu quero muito chegar no meu objetivo. 

Mas não, eu não aceito ser taxada de mentirosa por isso, eu não aceito ser colocada nessa panelinha. E sim, me irrita e eu tenho direito a me irritar. E sim, o que eu penso de uma pessoa que escreve algo como isso é (além da irritação inicial) pena. Porque fez algo que considera errado (porque se não considerasse não trataria dessa forma) e tenta suprimir sua culpa dando a entender que quem não fez como ela é pior, ruim ou maldoso. 

Isso tudo é sobre a maneira como lidamos com a culpa. Quem lida com a culpa dessa forma já mostra sua fragilidade a nível psicológico mesmo. E explica muita coisa. É preciso aceitar que a vida não é linear e que é feita de escolhas. E que nem todas as nossas escolhas precisam trazer culpa consigo. Escolhas são opções legítimas, e precisamos conviver da melhor maneira possível com nossas opções. Tomar decisões com firmeza, pesando os prós e os contras nos dá a segurança necessária para diminuir a culpa. E é disso que precisamos. 

Culpe-se menos e culpe os outros menos. 

O mundo está torto sim, mas respeito é bom e eu gosto. 


Uma boa semana para vocês!


Se você curte o blog, pode me acompanhar nas redes sociais:


Comentário(s)
Comentário(s)