06/08/2015

Resenha: Comunicação não-violenta

| |




Recentemente li o livro "Comunicação não-violenta" de Marshall B. Rosenberg. Um livro fantástico que mudou meu conceito a respeito da violência que sofremos e inflingimos aos outros diariamente. Acho importante este tipo de reflexão. Nos ajuda a fazer uma auto análise, e a repensar conceitos. Creio que repensar-se faz parte do crescimento pessoal de cada um. É preciso que esta análise seja feita cotidianamente se desejamos ser pessoas melhores. 

A ascensão das redes sociais e sua popularização deu palco, oportunidade e liberdade a todos para falar qualquer coisa que desejarem. Q U A L Q U E R    C O I S A. E foi então que o ruído na comunicação entre as pessoas se intensificou ainda mais e muitos diálogos já difíceis se tornaram impossíveis. 

O livro  trata basicamente de métodos de comunicação e linguagem que nos permitem otimizar nossos relacionamentos de forma a conectar-nos compassivamente uns aos outros, buscando atender as necessidades de ambos. É mais que comunicar, é entender o outro, perceber que necessidades ele tem, e também nossas próprias necessidades. 

A realidade é que somos ignorantes  a respeito do que é violência. Vemos como violência apenas aqueles atos extremos que a maioria de nós nem faz: xingar, agredir-se fisicamente, fazer guerra, assaltos, etc. No entanto, a violência pode ser muito mais sutil que isso. Julgamentos moralizadores, exigências descabidas, críticas mal postas, todas estas coisas simples - que fazemos o tempo todo! - são espécies de atos violentos, pois causam sofrimento emocional nas pessoas. Quando eu defendo uma vítima desejando a morte do agressor, estou me utilizando da violência passiva. Quando defendo minhas ideologias taxando todos os que têm opiniões contrárias às minhas de ignorantes, estou sendo violento, pois estou realizando um julgamento irresponsável acerca das habilidades cognitivas dos outros. 

A vida nada mais é uma troca entre pessoas que desejam algo umas das outras, ou das situações. Acontece que geralmente não sabemos comunicar nossos desejos e, não sendo compreendidos, nossos desejos não são realizados, o que gera ressentimento, ansiedade, medo, insatisfação. A comunicação não-violenta é um método que ensina-nos a entender o outro melhor e, mais importante até, a comunicar nossos desejos de forma eloquente, direta, clara, fazendo com o que o outro entenda melhor e então possa nos oferecer o que desejamos. Da mesma forma, nos permite entender os desejos por trás dos discursos dos outros, a fim de que possamos agir direto no ponto e atendê-los também, sempre dentro do possível. 

O autor é muito feliz ao expressar também o que ele chama de "comunicações alienantes da vida" que são formas que utilizamos para nos expressar que não apenas nos prejudicam, como bloqueiam a compaixão por parte da outra pessoa, cortando o elo da comunicação eficaz. Alguns exemplos são as "desculpites" que utilizamos para não resolver um problema e nos eximir de nossas responsabilidades, como pôr a culpa nos outros, culpar alguma condição, a pressão do grupo, enfim, mil maneiras de tirar de nossos ombros a responsabilidade por algo que fazemos. 

Em resumo, o livro nos ensina as melhores maneiras de nos conectarmos às outras pessoas. Recheado de dicas para entendermos melhor o outro e a nós mesmos, para nos comunicarmos de maneira clara e objetiva, o livro mostra que a humanidade tem muito a aprender mas nós podemos fazer a diferença hoje mesmo.

Beijão!

Me siga nas redes sociais e fique por dentro de tudo!
SNAPCHAT: @dennybap / PERISCOPE: @dennybaptista

Comentário(s)
Comentário(s)