21/09/2015

Fed Up - Documentário sobre o poder das indústrias sobre a obesidade

| |

No sábado à noite decidi deixar os habituais filmes de entretenimento para assistir a este documentário. Já havia visto sua indicação em alguns sites e meus queridos amigos Thiago e Rita colocaram a pilha que faltava para eu assistir. Confesso: saí da frente da tela com o coração destroçado.

Num resumão, o documentário fala do quanto as indústrias de alimentação têm poder sobre as decisões da OMS (Organização Mundial de Saúde) no que diz respeito às orientações e regulações sobre aquilo que se vende como alimento nos supermercados e mercearias. A OMS regula muitas coisas a nível mundial e influencia diretamente as ações de organizações locais como as da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), brasileira. Por muitas vezes as agências reguladoras tentaram alertar o mundo sobre os perigos do consumo elevado de açúcar, e acabaram sendo abafadas pela pressão destas agências.

Por muito tempo acreditamos que a obesidade era resultado de comer muitas calorias e exercitar-se pouco. Porquê isso favorece a indústria alimentícia? Porque nos faz acreditar que 1 caloria será sempre 1 caloria. Explico: o organismo trata de maneira diferente as calorias ingeridas por nós. Cito como exemplo as próprias frutas, alimentos saudáveis. Se você consome 1 caloria de maçã, a fruta inteira, mastigando-a, você consome juntamente com a frutose (açúcar da fruta) as fibras. Isso faz com que essa frutose entre vagarosamente em sua corrente sanguínea, fazendo com que a insulina necessária para quebrá-la o faça de forma lenta e gradual, sem maiores problemas, eliminando a maioria disso se nosso organismo. Se você consome uma caloria de suco de fruta (que nada mais é que o puro açúcar da fruta, fique ligadinho), você não tem as fibras, logo a frutose entra violentamente em sua corrente sanguínea, sobrecarregando seu fígado, que pede socorro ao pâncreas, que secreta a insulina em altas quantidades e, quando esta não dá conta de tanta frutose, estoca o excesso em forma de gordura para tirá-lo rapidamente da corrente sanguínea. Perceberam como as calorias são tratadas de forma diferente? Mas você e eu aprendemos que calorias são calorias e que basta consumir uma quantidade X delas ao dia e exercitar-se para emagrecer. 

Essa notícia nem é nova, já vem sendo informada por profissionais atualizados da área de saúde há muito tempo. Dr. Dukan explica isso claramente em seus livros. Quem leu, e entendeu, já sabe. Mas para nós não só é mais fácil, como é mais cômodo acreditar que se eu consumir 1.200 calorias ao dia, pouco importa se foi em frutas, verduras e legumes ou em batata frita. As calorias é que importam. O problema é que no caso dos doces, o corpo converte o excesso de glicose em gordura antes mesmo que você tenha tempo de queimá-la.

Aí você me diz: ah, mas eu me exercito, emagrecerei mesmo assim. Aí eu te respondo: depende. Depende do que você está ingerindo. Porque lamento informar, mas é impossível queimar as calorias excedentes do que temos consumido na mesma quantidade que consumimos. Isso levando em conta as taxas de metabolismo basal (quantas calorias o corpo gasta para se manter). Exemplos:

* Para queimar 100g de chocolate ao leite você precisa fazer cerca de 1 hora da corrida. COR-RI-DA. Não caminhada. 

* Para queimar duas bolinhas de sorvete, é necessário 1 hora de natação. 

* Para queimar 100g de biscoito recheado, você precisará de 2 horas de bicicleta.

Levando em consideração que você tenha um excelente metabolismo que te permita queimar as quantidades acima, claro. E assim segue. Porque este tipo de alimento nos enche de calorias vazias: aquelas que se estocam rapidamente como gordura, e não trazem nutrientes. 

Aí fomos ensinados a consumir alimentos Diet, Light, com pouca gordura. Mas muitos destes alimentos têm quantidades enormes de gordura ou açúcar. É preciso estar atento aos rótulos sempre. Há alimentos muito bons, mas infelizmente eles não são a maioria.

Bom, o documentário traz outros dados interessantes, vale demais a pena assisti-lo. 

O que me doeu, me cortou o coração foram os casos apresentados de adolescentes obesos - 3 no caso. Eles ali, cercados por uma família que acredita que cereal matinal é saudável e que alimentos light resolvem o problema. Uma das adolescentes praticava natação 4 vezes na semana, fazia caminhada ou corrida nos outros dias e ainda assim não conseguia emagrecer. De cortar o coração!

Porque na verdade acreditamos que nos matar na academia vai resolver nossos problemas. Mas importa muito mais o que comemos que qualquer tipo de exercício que fizermos. Mas a indústria manda você se exercitar mais para poder comer o que tiver vontade. Não é isso? É sim. E você continua fazendo regime e comendo pizza. E continua acima do peso ou perde a passo de tartaruga, porque come errado. Acabamos sendo apenas vítimas disso. Se quisermos. Porque conhecimento é poder. Precisamos saber. E abrir os olhos. Sabe porquê?

Certos tipos de químicos com os quais temos contato via alimentar ou ambiental alteram nosso organismo a nível mitocondrial. E estas deformidades são passadas de geração em geração. Ou seja, o que você faz hoje vai afetar a vida, saúde e longevidade de seus filhos e netos. Esta é a herança que você quer deixar?

Enfim, segue abaixo o documentário na íntegra para que você possa assistir. Está em inglês. Mas NESTE link você consegue assisti-lo com legendas. No Netflix também tem. Infelizmente no YouTube eles disponibilizam como dublado, mas não são dublados não. Enfim, ASSISTA. É sério!


Me siga nas redes sociais e fique por dentro de tudo!
SNAPCHAT: @dennybap / PERISCOPE: @dennybaptista
Comentário(s)
Comentário(s)