17/04/2017

A Páscoa passou, e agora?

| |
Imagem: Freepik

Bom, a Páscoa passou e eu bem poderia fazer um post dando algumas dicas para "remediar" os excessos alimentares da data. No entanto pensei melhor e decidi não fazer não. Vai ter muito post do tipo rolando pela timeline de vocês, pelos blogs e sites também. Então seria apenas mais um post com o óbvio.

Mas mais que este óbvio é entender que é apenas uma data comemorativa e ela deve ser tratada como tal. Quando você comete excessos em uma data, mas esta é uma excessão, o impacto na sua vida (peso, saúde) não vai ser tão grande. No entanto, quando ela se soma a diversas outras exceções (que nem são mais exceções), o impacto obviamente será bem maior. 

O ponto que quero tocar neste post é que a vida funciona de modo global. Nada que eu faça a conta gotas vai trazer uma grande diferença, nem para melhor, nem para pior. O que importa é o contexto onde estas situações estão inseridas. 

Cresci muito neste sentido de alguns anos para cá. Já achei que goji berry iria mudar minha vida, que a chia me ajudaria a emagrecer, que o chá verde aceleraria o metabolismo. Tudo isso está documentado neste blog. Ele tem anos e anos e retrata toda a mudança que já aconteceu dentro de mim em termos de conhecimento. 

Hoje eu sei que o todo é o que importa. De nada adianta eu me alimentar corretamente a semana toda e tocar o terror no final de semana. Algo que acontece todo final de semana não é minha exceção, é minha regra. No entanto se eu tenho um estilo de vida (não apenas alimentação) que faz bem a mim como um todo, não vai ser um chocolate que vai pôr tudo a perder.

Agora, miguinho, miguinha, se você come tranqueira todos os dias, e ainda atola o pé nas datas especiais, sinto informar que não vai ser o jejum intermitente que vai te salvar, nem aquele suco detox que saiu na capa da Boa Forma.

Enfim, nesta Páscoa eu cedi a algumas tentações, comi chocolate e sobremesa, e sabe o que eu vou fazer para remediar amanhã? NADICA DE NADA. Isso mesmo que você leu. Vou seguir minha vidinha, sem jejum maluco, sem suco detox (suco verde eu tomo bem frequentemente, por nenhum motivo além dos nutrientes mesmo), sem cápsula mágica, sem dieta de fome. E é assim que tem sido.

Não fico carregando peso de culpa, mas faço questão de ser bem consciente de que poderia sim ter feito melhor do que fiz, melhores escolhas inclusive. Não é para ficar na martirização eterna, nem pra fingir que tá tudo lindo e que tem mais é que comer pra ser feliz (exagerei na "felicidade" no passado e olha eu aqui me ferrando kkkkk). O foco é apenas seguir em frente, dando o meu melhor. Não deveria ser assim sempre? Pois é, ainda bem que a gente aprende.

E você, o que andou fazendo de bom nesta Páscoa?

Beijão!
Comentário(s)
Comentário(s)