19/05/2016

Não somos obrigados... nem mesmo a permanecer iguais

| |

Falei há alguns posts atrás que eu estava "flertando" com uma linha mais low carb / paleo / lchf de alimentação. Não apenas como meio de emagrecimento, mas como algo para a vida. Tenho lido bastante (e pretendo ainda ler muito mais!), estudado e conversado com meu marido a respeito. Como já falei algumas vezes também aqui (do que eu não falo aqui, hein?) do quanto estas questões de alimentação acabaram culminando em problemas muito tristes de saúde (menopausa precoce / falência ovariana prematura) que destruíram alguns sonhos nossos quase por completo (tem sempre aquele 1% de fé que a gente insiste em manter lá no fundinho), pretendemos mudar o estilo de vida. Já mudamos bastante, mas queremos mais.

Desde que recebi o "definitivo" no ano passado, e iniciei a terapia hormonal, muita coisa mudou. Primeiro ganhei um bom peso por conta dos hormônios, aquele choque inicial que o organismo leva. Depois, uma "depressãozinha" atormentando, aquele desânimo, os sonhos desmoronados e a falta de força para reconstruir um futuro que eu havia imaginado. Tudo foi me fazendo manter as coisas num ritmo mais meia-boca. Sabe quando parece que a gente perde os motivos? Então fiquei daquele jeito. Mantendo a dieta, mas não com a firmeza necessária para que houvesse emagrecimento. Para vencer essa questão dos hormônios e perder peso, eu precisaria manter um ritmo forte na dieta, ou acabaria como estou: estagnada, parada, vendo a balança baixar 2kg, e retomá-los novamente muito em breve. 

Como todos sabem, iniciei a Dieta Dukan com aval médico. E depois de tanto tempo nela, o corpo acaba se acostumando. Porque eu saí duas vezes e retomei, e nas duas vezes que saí ganhei muito peso novamente, não porque não conseguiria manter o peso ao fim da dieta, mas porque não fiz esforço para isso, muito pelo contrário. E lá se vão o quê, 2 ou 3 anos nessa. Sem contar que cansa. Eu não aguento mais PP, não sou de muita carne, e em dias de PP acaba sendo carne e carne, para não acabar só no ovo, rs...

Também com todo esse nó emocional em que ando, a compulsão tem dado as caras, e a gente acaba naquele ciclo: come demais, depois se sente péssimo, mas faz novamente. Eu tive umas crises mais tensas, mas já melhorei bastante com essa "desobrigação" de fazer lanches, algo que aprendi com nutricionistas dessa linha mais low carb. Já faz algum tempo que parei de fazer lanches, mas não fazia por falta de tempo e sempre com "peso" na consciência por não poder comer. Aí acabava compensando na outra refeição. Aos poucos fui entendendo que a coisa não é bem assim, e um dia falaremos a respeito.

Então, eu decidi que vou mudar. Mas estou estudando. Não quero fazer o que eu fiz com a Dukan da primeira vez: fazer sem estudar direito e fazer errado, não ter bons resultados e consequentemente abandonar tudo. Quando tiver um bom conhecimento, vou compartilhar com vocês, mas daquele jeito: quando puder e tiver certeza do que estou falando.

Ainda continuarei falando da Dukan, não aprendi tanto sobre ela à toa. E ela realmente funciona. Não teria perdido quase 40kg se não funcionasse, certo? Mas infelizmente as coisas comigo não correram como o planejado. Então ainda teremos receitas, dicas e estou preparando uma surpresa bem bacana (mistério!) para os dukanianos que estão sempre por aqui. Não os abandonarei!

A parte mais difícil disso tudo foi assumir que sim, eu queria mudar. Depois de tanto tempo, ajudando tanta gente, falando tanto sobre essa dieta MARAVILHOSA que é a Dukan, euzinha, eu mesma, vou mudar. Mas fiquei aqui pensando no quanto eu não tenho que fazer as coisas conforme os outros pensam. Eu preciso mudar, e então vou mudar. Eu quero resultados, então preciso fazer o que for possível para isso.

Mas se tem uma coisa que sempre serei é grata por ter conhecido a Dukan. Por ter conhecido a Jô  Gaúcha (muuuito antes da Dukan, mas como meio para conhecê-la), que acabou sendo aquela pessoa-estímulo para que eu me aventurasse por isso. É incrível como minha cabeça se abriu para coisas novas depois da Dukan. Eu não conseguiria ir para uma dieta low carb se não tivesse feito a Dukan antes. Aprendi que não comer pão não mata. Que dá pra viver sem açúcar. Que é possível comer coisas deliciosas sem farinha. E que dá pra perder quase 40kg sem passar fome. Isso é impagável. Nada, nada paga esse aprendizado. VALEU TIO DUKAN! TE AMO! Hehehehe...

Bom, quando tiver novidades, compartilharei com vocês, ok?

Beijão!
Comentário(s)
Comentário(s)