08/10/2010

Nada substitui a amizade

| |

Então que hoje estou me sentindo sozinha. Hoje não, já faz um tempo, mas esta semana estou mais sensível, então hoje está doendo um pouquinho mais. Não é uma solidão de se sentir sozinha no mundo. É o tipo de solidão que só uma amizade preenche.

Não me entendam mal. Meu marido é meu melhor amigo, disso nunca poderei reclamar. Mas amigo é amigo. E AMIGAS SÃO AMIGAS. Mulher tem uma relação diferente com a amizade e isso é fundamental.

Sabe, tenho muitas amizades na internet, muitas mesmo. Algumas ultrapassaram a barreira do virtual, se tornaram pedacinhos do meu dia-a-dia. Mas não adianta tentar me enganar. Há muitas coisas que só um amigo que está ao lado pode perceber. Uso bastante o Twitter. E logicamente não vou ficar resmungando o tempo todo lá e dando bandeira de que isso incomoda mais do que o normal. Também não quero pagar de coitadinha, até porque não sou.

Mas aqui, em uma nova cidade, não posso dizer que tenho uma amiga que seja. Tenho as amigas do meu marido, que são minhas conhecidas, mas pessoas com quem jamais vou compartilhar um segredo, por exemplo, porque temos uma relação superficial. Tenho algumas pessoas mais próximas, também casadas, a quem quero muito bem, mas com que não tenho uma afinidade do tipo que me faça sentir à vontade de compartilhar minha vida. Tenho a tiazinha da limpeza, lá do trabalho, que é um amor de pessoa e que eu sei que gosta de mim de coração, conversamos bastante até, mas é só lá, assim como várias colegas de trabalho com quem tenho uma relação um pouco mais estreita.

Falta aquela pessoa pra telefonar e dizer: vamos dar uma volta? Vamos caminhar? Vamos no supermercado comigo? Falta alguém perto. Quem está longe bem poderia vir pra perto...

Então, fica aqui esse vazio, esse nó na garganta, essa saudade das minhas meninas, lá de Palmeira. Saudade de sair tomar sorvete, conversar, tirar fotos, rir e falar dos meninos. E casadas também falam de meninos, mas dos "nossos" meninos, rs. Saudade de tanta coisa... Eu sabia que em algum momento isso me faria falta. Mas esperava que demorasse um pouco mais.

Confesso também que não tenho me esforçado muito nessa questão. Por ter ganho peso, não me sinto à vontade em público, fico imaginando as pessoas falando do meu antes-depois-agora. E aí também não me ajudo né.

Enfim, hoje me sinto uma espectadora. Vejo as pessoas confidenciando, torcendo umas pelas outras, segredando, chorando de alegria pelo sucesso dos outros. E eu olhando. Não que ninguém faça isso por mim, seria ingratidão minha dizer que não. Mas sabe quando falta uma coisinha? Então...
Comentário(s)
Comentário(s)