20/10/2013

Onde fica o botão da "força de vontade"?

| |
Imagem: WeHeartIt

Se os cientistas conseguissem desvendar esse mistério, a obesidade ou sobrepeso sumiriam da face do planeta. Mas onde fica esse botãozinho? Porque ele aparece? Onde ele se esconde?

A maioria aqui conhece minha história. Depois do meu casamento, essa história foi quase reescrita. Casei com 63,5kgs, linda e faceira. Havia perdido 16kgs naquele ano de preparativos. Nos primeiros meses após o casamento ainda perdi mais 1kg, chegando ao meu peso mínimo na idade adulta. Mas entrei na armadilha que muitos caem: comidinhas gostosas para compartilhar com o maridão, saídas para almoçar/jantar fora. E fui ganhando peso. A cada kg ganho eu via o perigo batendo à minha porta, mas a força de vontade já não dava as caras e eu ia deixando pra começar uma dieta "amanhã". O maldito amanhã! Também passamos por alguns problemas com emprego e, consequentemente $$, e meu organismo rejeitou severamente os altos níveis de pólen da cidade, que é recordista em alergias. Para vocês terem ideia, cerca de 40% da população sofre de alergias decorrentes do pólen. Foram muitas injeções de antialérgicos, muitas caixas de anti-histamínicos. Cada vez eu ia engordando mais, e ficando mais ansiosa, e descontando tudo no prato. Comia para vencer a tristeza e o desânimo de voltar à estaca zero. Mas foi pior. Alcancei um peso que jamais havia alcançado em toda a minha vida. Cheguei a absurdos 119kgs. Em 3 anos. Quase 60kgs! Literalmente explodi! Vocês têm ideia do que isso faz com a cabeça de alguém? Muito poucos têm. 

Ouvir os comentários que ouvi, ser humilhada pelo sobrepeso, ir engordando a olhos vistos, não conseguir parar o processo, e ouvir comentários sussurrados sobre isso é extremamente doloroso. Entrei em parafuso! Mesmo com tudo isso acontecendo, minha auto-estima no lixo, me sentindo humilhada, não tive força de vontade! Iniciei várias dietas, com resultados satisfatórios até, mas desisti de todas elas uma a uma. Onde se escondeu o botão? Não sei.

No final do ano passado decidi mudar. Mais uma decisão. Passei as festas de final de ano comedida no quesito alimentação. Ali, perdi 8kgs. Em cerca de 3 meses. E parou por ali. Então, há cerca de 2, 3 meses, decidi consultar um clínico geral, a fim de fazer um checkup, ver a quantas andava minha saúde, fazer algumas "queixas" e começar um processo de reeducação alimentar. Foi aí, a partir da primeira consulta que, de uma forma inexplicável o botãozinho apareceu. 

O médico não me apresentou nenhuma novidade. De tanto ler sobre dietas e nutrição, a gente acaba sabendo meio de tudo (fazer que é bom...). Ele inclusive, me aconselhou uma das dietas que achei ser incapaz de seguir: um misto da Dukan e Atkins, puxando pra paleolítica, que corta do cardápio tudo o que eu mais amo: açúcar e carboidratos. É simples: sou uma viciada em carboidratos. AMO um pão francês quentinho. AMO um belo prato de massa. AMO chocolate branco. Mas meus exames apenas reforçaram isso. Então, sabe-se lá porque, apertei o botão e deixei o dedo lá.

Desde então já perdi 10kgs (além dos 8Kgs que já havia perdido anteriormente), e nunca mais ingeri um pedacinho de massa, pão ou coisa açucarada. Reforcei as proteínas do meu cardápio, aprendi receitas novas, me abracei aos diet e light, e só uso adoçante em tudo. Diminuí as frutas que consumia (frutose em excesso também engorda), aumentei as verduras e legumes e, acreditem, me habituei de verdade a isso.

Na primeira semana, foi punk. Meu marido não acompanhou minhas mudanças. Ele se alimenta de maneira habitual: arroz, feijão, carne, salada, pão, bolo, biscoito recheado, danette, flan, chocolate, bla bla bla. Tive que me habituar a isso. Sofri pra caramba no começo, sentia o cheiro de pão na chapa que ele fazia e ia para algum cômodo em que o odor não chegasse. Agora, sentamos na mesma mesa, ele comendo arroz, feijão, bife e ovo frito e eu bife, ovo cozido, queijos e saladinhas. Tudo tranquilo, tão tranquilo que eu nem acredito! E imaginem se não estou feliz com isso! DEMAIS!

Todos me elogiam, minhas roupas estão sobrando, as pernas muito mais finas, a barriga então... a cintura está voltando! Pneus sumindo, olha, só vantagens! Um pequeno "antes e depois" - que na verdade é durante - só para vocês terem ideia. Só de rosto.



Mas eu não posso passar uma receita, pois fiquei anos sem conseguir fazer isso. Por isso jamais vou criticar quem não tem força de vontade. No fundo, a força de vontade não é um botão que liga e desliga. É algo mais íntimo, mais internalizado que isso. Não é simples e a gente literalmente nunca sabe quando vai ter. Mas é preciso começar e parar, recomeçar e então começar mais uma vez! O que a gente não pode é desistir. 

Sei que, depois da maior derrota da minha vida, estou disposta a comemorar a maior vitória. e mantê-la, o que é mais importante.

 Vem comigo?

Beijos.
Comentário(s)
Comentário(s)