21/01/2014

Inseguranças...

| |
Hoje, ao ler uma matéria de uma revista encontrei algo interessante que gostaria de compartilhar com vocês. É pequeno em tamanho, mas grande em significado. Uma opinião sobre uma pessoa insegura.

Quando uma pessoa tem uma grande carência ou insegurança, ela busca algo ou alguém para preenchê-la. "Queremos que o outro nos dê aquilo de que temos falta, como atenção, por exemplo", diz a terapeuta Ceci Akamatsu. [...] A pessoa pode agir de um jeito agressivo e tentar obrigar o outro a fazer o que ela quer ou atuar de modo passivo, fazendo de tudo para que o outro se comova ou se sinta em dívida. O problema é que "o vazio continua lá e você fica à mercê de outras pessoas. A felicidade não dura muito tempo. [...] É possível tentar preencher o vazio interior com comida", continua Ceci. Para evitar que isso aconteça é preciso ser um pouco egoísta. "Ser um doador excessivo é até mais perigoso do que ser egoísta, pois faz mal e as pessoas acham ótimo que você faça as coisas por elas." Para reverter o quadro, Ceci diz que a pessoa deve monitorar suas ações o tempo todo, se perguntando: "Estou me doando demais?", "Isso faz bem para mim ou só para os outros?".

Fica a reflexão pra encerrar essa noite. Quantas vezes já agi exatamente assim! E ainda faço muito. Já descontei muita frustração no pão francês. Mudar é possível. Leva tempo, exige paciência, mas faz muito bem e dá muita segurança.

Bruna, estava pensando no seu post quando fiz esse! Beijo linda!


Beijo gente!

P.S.: só eu sinto uma fome de leão quando faço atividade física? Não tá fácil controlar a draga aqui, rs. Sorte essa dieta ser generosa nas porções!
Comentário(s)
Comentário(s)