23/07/2015

Sobre a linearidade - ou não - das coisas

| |

Hoje publiquei essa foto no Instagra, - e saiu no Facebook também. Toda vez que monto esses "antes e durante" me dá um misto de alívio por ter saído desse ponto, e uma tristeza profunda não só por ter me deixado chegar nessa situação, como pelo medo de retornar. 

Ninguém explica as coisas que se passam conosco. Eu já falei algumas vezes que o que a gente passa não é racional. Não é racional você engordar, engordar, engordar, se odiar por isso e comer cada vez mais. Não é racional passar anos numa situação deplorável e ao invés de mudar isso, se afundar ainda mais. E acima de tudo é doloroso. Muito doloroso! Não é racional sofrer tanto! Mas a gente faz. Ninguém explica, nem a gente explica. 

E depois que você perde um bom peso e a perda de peso vai ficando lenta, dá aquele medo tenso de empacar, de não conseguir, de voltar pra lá. Eu tenho medo o tempo todo! Porque já pesei 85kg - e na época foi meu auge - e emagreci. Aí engordei. Aí emagreci para o meu casamento e casei magrinha e feliz. Aí engordei quase SESSENTA quilos! Aí emagreci 35. Aí engordei quase 20kg dos 25 que havia perdido! Aí agora tô indo rumo aos 40kg perdidos. É uma coisa doida e a cabeça sofre com isso tudo, não é algo linear. Não para mim. 

Lembro de todos os dias ir trabalhar com vergonha. De ver as pessoas - que me viam engordando cada dia mais - de sair de casa, de me olhar em vitrines, de olhar para o meu marido. Mas eu simplesmente não conseguia reagir! Pelo contrário, parece que permitia que a situação ficasse ainda pior. E ficou, muito.

Eu me julgava da pior forma constantemente e ficava imaginando o que as pessoas pensavam de mim. Essa imaginação nada mais era que uma réplica de meus próprios pensamentos a meu respeito. Sim, as pessoas pensam mal de quem engorda, há todo um preconceito, mas o maior é o que nós mesmos temos. Isso só piorava minha situação. Mas de alguma forma eu consegui sair de lá.

Não foi algo repentino, nem fácil. Não iniciei a Dieta Dukan logo de cara - tentei uma vez, mas não consegui manter. Comecei fazendo pequenas substituições no meu dia a dia, como comer menos frituras, refrigerantes, doces, caminhar... e devagar fui conseguindo me fortalecer. Até que um dia senti estar pronta para encarar uma dieta restritiva. Há muitas maneiras de se perder peso. A restrição é o que funciona para mim - restrição de grupos alimentares, não de quantidades. Mas cada pessoa tem um modus operandi e deve respeitá-lo se quiser que algo dê certo.

Não posso me dizer uma dessas pessoas lindas capas de revista que engordou, engordou, aí foi lá fez dieta, emagreceu, saiu na capa e pronto acabou! Minha história é cheia de altos e baixos. Já fui convidada para fazer capa de revista e recentemente para estrear nas páginas de um livro sobre emagrecimento. Mas eu não estou pronta!

E isso não é exclusivo. Muita gente passa pelo que eu passo. Muita gente desiste. Outros tantos vão até o final. Eu quero ir até o final e vou até o final! Mas eu tenho medo sim de chegar até lá e pôr tudo a perder. Eu acho que todos que chegam onde cheguei têm esse mesmo medo.

Mas sobre tudo isso, o que eu faço? Me mantenho firme. Brigo comigo mesma todos os dias. Há vezes que quase desisto, mas então vejo essas montagens e encontro forças para continuar na luta - que é imensa. Choro, fico nervosa, dou umas surtadas de vez em quando - eu comigo mesma. Mas insisto e permaneço firme! 

Não vou dizer que a diferença entre antes e agora é que agora eu quero. Porque antes eu também queria emagrecer. Mas agora eu acredito em mim mesma e sei que sou capaz. É isso que faz toda a diferença.

Beijão!



SNAPCHAT: @dennybap / PERISCOPE: @dennybaptista
Comentário(s)
Comentário(s)