18/08/2015

Por que nos sabotamos?

| |

Todos nós que chegamos a um peso muito acima do ideal, tivemos (ou temos!) nossos motivos. Muitíssimo poucas pessoas nasceram com aquele "X" na testa que diz: "esse vai ser gordinho". Nossa genética influencia nosso peso, mas não tem pode de DETERMINAR se seremos gordinhos ou magrinhos. Guarde essa desculpa no bolso. Os motivos podem ser os mais variados, que vão desde maus hábitos alimentares, a remédios que causam o ganho de peso, passando por stress, depressão, ansiedade. O fato é que chegamos até aqui - seja lá onde for seu "aqui" amigs! No entanto, a grande maioria falha em resolver o problema. Quais os motivos?

Cada pessoa desenvolve uma série de mecanismos para abrandar frustrações, decepções, tristezas, stress, e um número sem fim de problemas. Alguns passam a comprar muito, outros mentem, há quem roube, quem mergulhe de cabeça no trabalho, há quem coma. São meios de compensar algo que não vai bem. É muito mais fácil se empanturrar de Nutella e Ruffles do que admitir que o relacionamento não vai bem, ou que o trabalho não é o que desejamos. Acontece queridinhos, que para sair do sobrepeso é preciso passar por cima destes problemas. Encarar os fantasmas de frente. Encontrar novos meios de compensação saudáveis. Mas principalmente é preciso deixar de lado as desculpas e justificativas para tais atos, ou a balança continuará empacadinha!

Todos temos um rol imenso das chamadas "desculpites". Pensamentos como daquele diabinho que fica no ouvido dizendo que você trabalhou muito bem no dia de hoje, merece um chocolate. Aí você vai lá e não se contenta com um bombom, come logo a caixa inteira. Ou aquele pensamento de quem fez dieta perfeita a semana toda e pensa que merece uma "folguinha" no final de semana, e chega na segunda feira com 2kg a mais do que entrou nela. É natural que façamos isso. Muito mais fácil compensar que admitir um fracasso ou frustração. Mas isso é ILUSÃO. E fomentar ilusões nos mantém parados no mesmo lugar ou pior, andando para trás. A gente fica se enganando e se permitindo, porque afinal de contas "merecemos", e acabamos nunca saindo do lugar. Podemos passar a maior pinta de que está tudo bem, mas não existe gordinho bem resolvido em dieta, essa é a real. Se estivesse tudo bem, não estaria em dieta. E não, ninguém emagrece só pela sociedade "gordofóbica". A gente emagrece porque não gosta do que vê no espelho, porque o joelho dói para caminhar, porque é um saco andar pela rua e mal conseguir respirar, porque é frustrante e vergonhoso mal conseguir amarrar os cadarços do tênis. 

Nessa ânsia por não se sentir pior (que é legítima, mas feita de forma errada), muitos de nós passam a criar aversão contra quem consegue o que não conseguimos. E aí a blogueira fitness é uma neurótica porque come certinho. A menina que emagreceu 50 kg está "se achando" porque perdeu peso. E "quem essa garota pensa que é" para me dizer o que devo ou não comer? Perceberam? O problema não está nelas. Está na nossa necessidade não atendida de sentir-se bem. Transferimos nossa antipatia por nosso problema para quem resolveu. Porque precisamos sentir que a maioria faz como nós, que não estamos andando para trás. A frustração dói demais. 

E então vem - novamente -  a pergunta: porque nos sabotamos?

Essa é uma pergunta pessoal demais para ter uma resposta generalizada e definitiva. É preciso uma auto análise criteriosa e muito sincera. Despir-se das desculpas, não procurar justificativas para o que precisa ser modificado. E depois dessa análise, é preciso decidir o que fazer. Manter-se na situação é sempre uma opção. Mas se optarmos por mudar, é preciso agir. Traçar uma linha de ação, novos objetivos, e fazer realmente algo a respeito. Bundinha sentada não resolve problema. Manga arregaçada sim.

Mudar dói e gera desconforto. Mas o esforço sempre será recompensado. E nunca é tarde demais para mudar. E nenhum caminho é tão longo que não possa ser percorrido. O importante é não ficar focando nas suas deficiências. Aquilo que falo sempre sobre o sair da posição de "coitadinho", peitar o problema e correr atrás de solução. Nós podemos agir de diversas formas. Fingindo que está tudo bem, enganando-se. Afundar-se na lama de vez, julgando ser incapaz de conseguir. Ou encarando o problema de frente e correndo atrás da solução. 

Porque você se sabota? Descobriu? E vai fazer o que a respeito? Você escolhe. 

Se precisar de mim para algo, não hesite em me contatar, via formulário, e-mail, comentário, inbox nas diversas redes sociais. O que importa é correr atrás. 

Beijocão!

Me siga nas redes sociais e fique por dentro de tudo!
SNAPCHAT: @dennybap / PERISCOPE: @dennybaptista
Comentário(s)
Comentário(s)