Pessoalidades

Tirando as teias de aranha

17:18Denny Baptista

Eu na praia de Itapoá/SC.
Este blog não morreu. Não de uma maneira literal ao menos. Pagarei o domínio assim que meu rico dinheirinho cair na conta. Mas se eu disser que ele segue meu foco ninguém acreditaria. Nem eu.

Completei 35 anos no mês passado - assim, em silêncio, com quase ninguém me parabenizando porque há uns 3 anos eu omiti esta informação do meu Facebook. Eu sempre faço aniversário nas férias então a maioria das "parabenizações" aconteciam via redes sociais, e tudo bem. Mas com o tempo e a idade a gente vai ligando cada vez menos, mas também sendo cada vez mais chatos. E eu estou ficando chata sim, admito. Então há uns 2 ou 3 anos eu decidi que não precisava receber parabéns de quem não lembrasse do meu aniversário sem uma notificação da rede social. Vejam bem, eu não considero estas pessoas mal agradecidas, maldosas, menos especiais, nem nada. Eu também quero cada vez lembrar menos do meu aniversário hahahaha... Eu não gosto dele já faz um bom tempo, e nem é pelo passar dos anos. Não que eu goste de ficar mais velha, na verdade me apavora a forma como os anos tem passado e eu não tenho feito nada de realmente importante na minha vida (para mim, lógico). Porém eu ando cada vez gostando menos de abraços afetados, parabéns melados e reuniões onde você acaba convidando um monte de gente que nem te interessa apenas por obrigação. Estou cada vez menos me sentindo obrigada a qualquer coisa. Neste ano saí jantar num restaurante árabe com meu marido e irmão - a cunhada e sobrinhos estavam na praia, pais e irmã longe. E foi perfeito assim mesmo. Um jantar delicioso, em ótima companhia e sem alarde. Gostei e quero isso mais vezes.

Bom, deixando de lado isso, o blog é um espaço que eu ainda gosto, mas que definitivamente deixou de ser uma prioridade. Não tenho mais aquela paixão toda por blogar, visitar pessoas, responder comentários, criar conteúdo, ver os números crescerem, me sentir relevante. Essa fase passou. Não sei se definitivamente, mas passou. Preciso acertar de vez a linkagem interna dele que desconfigurou toda com a mudança de domínio e fazer isso com os vídeos do YouTube - que só não deleto porque realmente acho um material bom. Já tem gente me xingando lá porque os links dão em nada.

Acontece que eu estou trabalhando muito, e no tempo livre realmente não me passa na cabeça vir aqui escrever o que quer que seja. Tenho usado o tempo livre para ler (já li QUATRO livros esse ano, meu recorde dos últimos tempos!). Tenho ido à praia também. Na minha cidade tem uma pseudo praia - uma baía na verdade - porém moro a coisa de 50km de diversas praias, então com 1 horinha de carro, voilà! Já cultivo uma marquinha - de maiô. Tenho passeado também pela cidade - menos do que gostaria, admito. Também jogo alguns joguinhos idiotas para passar o tempo (The Sims, apenas mantendo os avatares minimamente vivos, e ainda jogo mais pelo modo construir e decorar que adoro, mas é algo semanal). Estou acompanhando algumas séries aos trancos e barrancos: Grace & Frankie, Greys Anatomy, Gilmore Girls (com anos de atraso, eu sei), Desperate Housewives (retomei, mas ainda não sei se vou engrenar). Nada muito inteligente, apenas algo para rir e deixar de fundo enquanto trabalho à noite. Eventualmente assisto algum filme.

Passei a dormir mais cedo (em torno das 22h, 22h30min no máximo), e agora deixo os celulares carregando na sala e, em pleno 2018, voltei a utilizar o bom e velho despertadorzinho do Paraguai para acordar. É impressionante o impacto disso na qualidade do meu sono!

Sigo gorda, precisando emagrecer mas não querendo tocar no assunto por enquanto. Entrei naquele limbo em que eu quero fazer, mas não tenho disposição e fico me permitindo muitas fugas, e comido muita besteira. Estou tentando apenas não me sentir uma bosta por isso. Já está de bom tamanho. Procuro comer minimamente bem, porém ainda não me readaptei à rotina corrida e meus almoços muitas vezes tem sido bem meia boca. Ensaio algumas organizações, mas o cansaço às vezes vence violentamente - e a preguiça idem.

Meu kefir ainda vive, meu kombucha acho que também sim, mas preciso cuidar dele melhor. Guardei um troquinho e quero comprar duas bicicletas para meu marido e eu darmos alguns passeios pela cidade. Joinville é muito amigável a ciclistas (bem, a cidade das flores e das bicicletas!), e acredito que os passeios de bicicleta serão bem mais interessantes que ir de carro para lá e para cá. O plano também é guardar uma graninha (trabalhando como uma mula para isso!) para comprar duas motos, tirar a carteira de motorista (moto e carro) e fazer umas viagens assim. Marido quer ir a Ushuaia. Quem sabe role, seria algo de que eu gostaria muito, apesar de me cagar de medo e saber que haverá um movimento violento contra a empreitada no seio familiar. Mas o futuro mostrará.

Bom, minha vida tem entrado num ritmo diferente dos últimos tempos, muitas coisas mudaram. Mudei bastante também. Amadureci. Envelheci. Aceitei algumas coisas, busco forças para mudar outras. Mas ainda há gritos ecoando em meu peito e desconsolos que nunca curarão. Mas eu sigo bem com isso tudo de qualquer forma. Me mantendo ok, com a cabeça o máximo possível no lugar, buscando uma serenidade que sei que não é minha, mas que meio se traduz neste meu texto.

Ah, me inscrevi, enfim, numa pós graduação.

As calopsitas seguem vivas.

Não quero mais fazer mil coisas ao mesmo tempo, e por isso o blog foi ficando pra lá. Ele nunca será abandonado, mas certamente perderá o público fiel que tinha, pois ele passará a traduzir estes meus hiatus, essa minha falta de pressa, esse meu "tô nem aí". Não estou sempre nessa tranquilidade, muito pelo contrário. O passar do tempo me agonia, a falta de propósito da minha vida me desespera às vezes, tenho buscado um rumo que não é fácil de encontrar. Mas agora, neste momento, está tudo uma calmaria. Deve ser o feriadão.

Beijos.

Você pode gostar destes também

0 comentários

recent posts

Flickr Images

Formulário de contato