22/07/2018

ASMR - Quando os ruídos relaxam


Há algum tempo atrás ouvi falar sobre a ASMR. ASMR é a sigla para Autonomous Sensory Meridian Response ou, no velho e bom português: Resposta Sensorial Meridiana Autônoma. Parece algo muito complexo, porém não é tanto. Achei uma definição bem bacana sobre o tema no Tecnoblog:

Basicamente, a sigla ASMR se refere a sensações agradáveis que se manifestam em resposta a estímulos visuais, auditivos e cognitivos. Você pode sentí-las “ao vivo”, conversando com uma pessoa em uma viagem de avião ou vendo alguém manipulando um objeto, por exemplo. Mas, nessas circunstâncias, normalmente o fenômeno se manifesta de forma não intencional: uma das partes acabou agindo sem perceber de um modo que ativa o estado de relaxamento na outra pessoa.

Resumidamente, é uma forma de se conseguir relaxamento através de ruídos leves, suaves e baixos. A grande verdade é que vivemos em um mundo barulhento. Muitas vezes tão barulhento que o silêncio absoluto incomoda. Há pessoas que não conseguem dormir sem música ao fundo ou sem o ruído do ventilador, por exemplo (eu mesma faço parte desse time). Muitas pessoas entenderam este "problema" e aproveitaram para criar conteúdo para esse público - que tem acesso a meios eletrônicos e não consegue relaxar sem a presença de algum ruído. Na maioria dos vídeos o interlocutor costuma se posicionar de frente para a câmera, como se estivesse interagindo com o espectador (e aqui eu vejo que em alguns casos os vídeos podem ser usados para disfarçar a pura e simples solidão), porém falando em sussuros, suavemente. Há também a manipulação de objetos que causem ruídos suaves, e toda movimentação é feita de forma suave e tranquila, a fim de induzir a calma e o relaxamento. Dessa forma, o espectador acaba se desligando de outros sons externos e relaxa ouvindo estes sons, mais suaves.

Há muitos vídeos ASMR no YouTube. Dos mais variados tipos. E muitas pessoas relatam sentir realmente um intenso relaxamento e até sensação de formigamento leve no couro cabeludo. Eu comecei a sssistir a alguns vídeos que encontrei muito por acaso e achei bem interessante. E então pesquisei a respeito para entender do que se tratava. E percebi que, embora eu não sinta um relaxamento extremo que alguns relatam, os vídeos vão sim acalmando e induzindo ao sono. Porém eu não gosto muito de vídeos com pessoas cochichando, particularmente. Prefiro alguns que vi de culinária, estes sim induzem um relaxamento bacana e até peguei no sono assistindo a um deles. 

Abaixo, alguns exemplos de vídeos de ASMR:

Para começar, a Jout-Jout fez um vídeo recente falando a respeito, no mesmo tom da galera da ASMR:


A maioria dos vídeos são feitos por mulheres:


Mas também há vídeos feitos por homens:



Há vídeos com 4 horas de duração:


E vídeos com DEZ horas de duração!



Tem até gameplay de Fortnite com ASMR:



Temos até brasileiras fazendo vídeos de ASMR:



E os meus favoritos, os culinários (coisa de gordo mesmo hahaha)! Esse primeiro é um canal de culinária vegano, o The Vegan Corner, que faz suas receitas na versão com música e ASMR:



Outro, é o Peaceful Cuisine, que faz o mesmo esquema: vídeos de receitas nas duas versões, com música e sem música (ASMR), porém neste a versão com música traz música calminha aliada aos sons da cozinha, quase um ASMR com música de fundo:



E por fim, para não lhes matar de tédio com um post imenso, um canal coreano chamado Cooking Tree:


Deixei na lateral do blog uma playlist ASMR do Deezer também, caso você tenha curiosidade.

E então, já tinham ouvido falar desse tema? Se não, o que achou a respeito? Deixe sua opinião nos comentários!

Beijão!

16/07/2018

Bullet Journal: onde encontrar um bom caderno


Há algum tempo aderi ao uso do bullet journal ou bujo - outro nome pelo qual ele é conhecido. Em termos muito simplistas, o bullet journal é uma agenda que você adapta às suas necessidades. Como pode-se ver na foto acima, ela é totalmente customizável, e a ideia é exatamente esta: criá-la de acordo com as suas necessidades e também ser um momento de estímulo à criatividade. 

O bullet journal não é algo que surgiu agora - apesar de parecer estar mais em alta neste momento. Eu já conhecia o método há vários anos, porém achava complicadíssimo. Mas preciso dizer que me enganei. Primeiramente porque como você o cria de acordo com o que precisa, não há uma regra a seguir: se você precisa apenas de páginas para anotar a rotina da semana (os chamados weeklys spreads), basta fazer apenas isso. Segundo que  não é um padrão enchê-lo de ilustrações mil. Há alguns extremamente simples e belíssimos nesta simplicidade. O bacana dele é a questão do desperdício mínimo. Com uma agenda normal, caso você não tenha coisas para escrever diariamente, acabará o ano com muitas páginas em branco e o aproveitamente será bem baixo. No caso do bullet journal, se você não tem tempo ou não precisa de anotações nesta semana, pode simplesmente deixar de fazer e pronto.

Eu aderi ao método pelo simples motivo de estar com uma rotina de trabalho exaustiva, e precisar de algo para relaxar, e como desenhar é algo que não faço lá muito bem, porém me relaxa bastante, achei que seria bacana - e está sendo!

Bom, mas meu foco aqui não é explicar o que é um bullet journal. Caso você deseje conhecer melhor o método, indico esta playlist da Aline Albino no YouTube, onde ela explica o que é, e dá várias dicas a respeito:


Hoje eu quero dar uma dica bacana de caderno para bujo. Você pode começar em um caderno comum ou quadriculado. Mas há cadernos que facilitam o trabalho, com páginas pontilhadas ou pontadas (que não possuem todo o pontilhamento, apenas os 4 cantinhos). O que acontece é que como é uma "novidade" no país, e não há tanta procura, o comércio brasileiro desta área aproveita para lucrar em cima desse nicho cobrando valores dolorosos. Há alguns de cerca de 50 páginas pela bagatela de R$70,00. Por esse motivo eu iniciei meus ensaios no bullet journal em um caderno quadriculado comum mesmo, que paguei honoráveis R$ 3,50. Fica bem legalzinho até, mas as linhas ainda me incomodavam um pouco. Procurando aqui e ali descobri uma opção bastante bacana.

Rodando internet afora encontrei um anúncio no Mercado Livre de caderno pontilhado. Dei aquela olhada básica nas avaliações e vi que a maioria das pessoas gostou bastante do produto. Há mais de uma versão do caderno, com capas e quantidade de páginas diferentes. Escolhi a versão com 320 páginas para testar, pois o preço estava ótimo. Vejam:


Escolhi a versão com capa preta, mas há capa vermelha, rosa, verde, laranja, prata, pied-de-poule e afins. Este é um caderno pontilhado, ou seja, ele não tem apenas os pontos guia básicos, vem com pontilhado extra, observe:


É feito de papel pólen soft, 90g/m². Este tipo de papel é mais amarelado naturalmente, ok? Eu, particularmente, prefiro assim, mas se você quer mais branquinho precisa escolher outra opção. No entanto a maioria dos cadernos para bujo vêm com este tipo de papel. Este tipo e gramatura de papel infelizmente faz com que canetinhas e marcadores transfiram para o outro lado do papel, como mostro abaixo:


Eu acho isso chato, mas a solução seria outro tipo de papel, e no momento para mim este está ok, já que outros têm um preço muito maior que este, então eu tomo mais cuidado no uso das canetinhas, porém está sendo bem ok em termos gerais.

Falando em preço, o valor do caderno é de R$29,90 com frete de valor único para todo o país de R$9,00, ou seja: o custo total para um caderno destes é de 39,90. O tamanho é de uma agenda comum, um pouco maior que os comuns para bujo.

Com algumas canetas e materiais para dar noção do tamanho.
Eu achei a relação custo-benefício deste produto ótima. Já comprei um para minha irmã, como presente. Aqui em Joinville chegou em coisa de uma semana, mas isso depende da distância de sua cidade e outros pormenores, mas geralmente chega rápido. Você pode encontrar ele à venda AQUI (este é o vendedor de onde comprei o caderno, não sei como são os outros).

Criei também uma pasta no Pinterest com muitas referências para bullet journal, se você tem conta lá, não perca esta pasta AQUI.

Se você decidir comprar, me conte como foi sua experiência. E se utiliza o bullet journal comenta aí, vamos trocar figurinhas?

Beijão!

08/07/2018

Passeando: Parque Municipal da Caieira - Joinville / SC



Já estou morando há um ano e meio em Joinville. Após uma adaptação de alguns meses ao trânsito daqui - que por conta da quantidade de morros no meio da cidade se torna um nó muitas vezes - começamos a nos "arriscar" a desbravar a cidade. Há uma quantidade razoável de lugares bacanas para conhecer por aqui, e aos poucos conhecemos a maioria deles. Quero mostrar alguns por aqui, pois há lugares reconhecidamente turísticos, mas outros bacanas para as pessoas que vivem na cidade.

Um deles é o Parque Municipal da Caieira ou Parque Caieiras (nunca lembro o nome exato e o Google também não ajuda, já que mostra ambos, rs). O parque ecológico se localiza no Bairro Adhemar Garcia, à beira da Lagoa Saguaçu e do mangue. É considerado patrimônio histórico, pois conserva ainda sambaquis. Abaixo, uma breve explicação do que é um sambaqui, segundo o site da Revista Mundo Estranho:

"São enormes montanhas erguidas em baías, praias ou na foz de grandes rios por povos que habitaram o litoral do Brasil na Pré-História. Eles são formados principalmente por cascas de moluscos – a própria origem tupi da palavra sambaqui significa “amontoado de conchas”. Mas essas elevações também contêm ossos de mamíferos, equipamentos primitivos de pesca e até objetos de arte, num verdadeiro arquivo pré-histórico."

E realmente, há partes em que você literalmente pisa no sambaqui, principalmente perto do mangue, pois você vê milhares e milhares de conchas sobrepostas.

Logo na chegada do parque há um estacionamento próprio, de tamanho bem razoável, gratuito. Em seguida, a área administrativa e já o informe de que este é o último ponto onde há banheiros - aqui, um ponto negativo, já que o parque é bem extenso, digamos. Portanto se você bebeu muita água neste dia, já faça seu xixi preventivo. Você já vai entender o motivo.

Saindo desta área, você segue por uma estrada principal, cercada de natureza. É uma caminhada de cerca de 1km aproximadamente. Em paralelo a este caminho principal, há duas trilhas que pode-se fazer, chamadas de "caminho da roça". Nelas há placas com indicações do que se faziam naqueles locais antigamente, mas não há vestígios reais, são apenas trilhas no meio do mato, no entanto, para quem já foi mais de uma vez, é algo bacana de se fazer.

Mozão 😍
 
Placa do "Caminho da Roça"

Trajeto pelo interior da trilha.
Ao final dessa estrada há uma área aberta, onde se pode praticar esportes ou simplesmente abrir a cadeira e ler junto à natureza.


Se você seguir pela esquerda terá acesso ao mangue, uma pequena ponte onde se tem uma bela visão da Lagoa Saguaçu e mais uma área aberta, de onde se vêem os fornos (conhecidos por terem provavelmente sido utilizados para queimar materiais dos sambaquis para produção de cal), dos quais não tirei fotos nítidas, mas que dá para ver ao fundo da imagem abaixo, que é da aquarela que meu esposo fez do local.


Esta parte dá acesso direto ao mague e Lagoa Saguaçu. Lá vi o menor canranguejo da minha vida, que era menor que minha unha do dedo mínimo!!!  A foto abaixo mostra outro caranguejo, pouco maior que meu dedão.


Abaixo, mais algumas fotos feitas por mim neste dia:

Lagoa Saguaçu
Pequeno deque à beira da Lagoa.

É um lugar bacana para quem gosta de curtir momentos de tranquilidade junto à natureza. É importante dizer que o lugar não tem uma boa infraestrutura. Pelo caminho, por exemplo, há algums prédios que antes abrigavam banheiros e afins, desativados. Não há nada a fazer exceto curtir a natureza mesmo - o que para mim é suficiente, mas para algumas pessoas quem sabe não seja. Não é permitido entrar com automóvel, apenas bicicletas, então não leve nada muito pesado.



Meu esposo e eu gostamos de ir lá apenas para curtir um sossego mesmo. Eu fico lendo algo e ele desenhando. Sempre há pessoas, principalmente famílias e crianças - apesar de que na última vez em que fomos, queríamos ver o pôr do sol do deque, porém haviam algumas pessoas esquisitas que pareciam interessados em usar o local, que fica longe dos olhos dos demais, então achamos por bem  não dar bobeira e não ficamos lá.



Importante: no verão, convém levar repelente de insetos, a natureza tem estes detalhes a serem levados em consideração, rs... 

Informações sobre o local:

Endereço:
R. Valdemiro Rosa, 1636
Bairro Adhemar Garcia
Joinville - SC

Você pode ver alguns comentários no TripAdvisor AQUI e no Google AQUI.

Beijão!

Atualizações do Instagram

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo