23/06/2010

Vamos tentar novamente?

| |

Olá pessoal!


E eu andei sumida do blog. Andei meio sumida da vida também.

Pelos últimos posts você já perceberam que as coisas não andavam muito boas por aqui. Sim, elas já melhoraram. Mas as coisas foram melhorando e eu fui ficando pelo caminho.

Minha asma esse ano bateu todos os recordes e então o tratamento foi inevitável. Corticóides via oral, séculos que não usava, acho que desde a minha adolescência. Já senti a derrota do ser ali ,na mesa do consultório. Fiz uma fiasqueira. Chorei na frente da médica, disse que não queria engordar, etc e talz. E ela me deu um puxão de orelhas bravo e então eu saí com a receita debaixo do braço e o rabinho entre as pernas.

Como uma especialista em negação, parei de usar calças jeans e passei a optar pelas leggings, suplex, etc. Legging com botas e sobretudo cai bem, então, ok. Sexo no escuro, e essas coisas de quem não ver seu próprio corpo, nem quer que o vejam. E fui disfarçando, e fingindo para mim mesma que nada estava acontecendo.

Enquanto isso, o trabalho começou a estressar. Não vou entrar em detalhes, isso aqui é público, pega mal. Mas sei que eu preciso fazer além da perfeição para evitar o stress. Muita cobrança, muita pressão, muito tudo.

Então, tratamento, ganho de peso óbvio, auto estima lá no dedão do pé, saudade dos pais, da irmãzinha, preocupação com meu irmão que não está bem, saudade do sobrinho, e outros problemas foram virando uma bolinha de neve.

E foi então que começou tudo de novo. Aqueues episódios que eu já conhecia. Tensão. Suor frio. Sensação de que algo muito ruim fosse acontecer, como um mau presságio. Taquicardia. Crises de pânico em meio a lugares cheios de gente. O telefone toca, o coração dispara e um calorão percorre o corpo todo. A porta abre, o mesmo. E assim segue. A cabeça não pára um segundo, o sono não vem e, quando vem, é recheado de sonhos ruins. Uma tensão constante. Não perdi o controle nenhuma vez, mas só o ter que ficar se controlando é extremamente desgastante.

O resultado é que tudo chegou a um limite em que, ou eu agia, ou viveria aquela história toda novamente: a Síndrome do Pânico. Decidi agir antes, e não passar por aquilo tudo novamente. Fui na minha médica (que é minha amiga particular, e é excelente), e saí de lá com meu bom e velho citalopran, e com o Rivotril, que eu ainda não tinha usado, mas pela insônia e agitação, foi necessário.

A medicação ainda levará cerca de 20 dias para fazer efeito, mas já sinto melhoras significativas. Estou mais bem humorada, meu marido até comentou isso (coitado, não quero nem pensar no que ele passou comigo nesse estado), tenho dormido melhor, acordado mais tranquila, e ficado menos tensa.

Não consegui sair ilesa. Na quinta-feira fui na médica e fiquei pasmada: 71Kgs. Voltar para a casa dos 70, e em tão pouco tempo foi um choque e chorei ali mesmo. Aí ela me deu um calmante e falou que os corticóides fizeram um bom trabalho nisso, mas minha ansiedade obviamente colaborou, me fazendo comer o que não deveria, e em quantidades maiores. Depois que me acalmei, ela me receitou, além dos "remedinhos da alegria", o remédio da segunda fase do tratamento para a asma, que é um corticóide via inalatória, ou seja, esse o corpo não absorve. Então vou ir voltando ao peso anterior.

Lógico que vai ser osso. Ainda estou melhorando, sei que tenho muita culpa nisso. E não é nem um pouco animador vir aqui no blog e contar isso a vocês. Recebo dezenas de e-mails perguntando o que fiz para emagrecer e, agora, venho com essa "pérola" de aumento de peso. Mas essa sou eu, essa é a minha verdade agora.

E vamos para a faseolamina que estava guardadinha no fundo do armário, e vamos voltar á dietinha.

Argh, eu sei que não vai ser moleza, mas eu vou conseguir. Consegui uma vez, consigo outra. Só preciso encontrar a força de vontade, esteja ela onde estiver.


Bjs gente.
Comentário(s)
Comentário(s)