17/08/2014

Auto estima - Baby steps rumo ao amor próprio

| |

Sim, hoje decidi ilustrar este post comigo mesma. Algumas "selfies" dos últimos 15 dias. Mas explico o motivo: estou REaprendendo a me amar. Aprendendo a gostar novamente do que vejo no espelho. Mas o caminho tem sido longo, muitas vezes difícil. 

A auto estima, em nós mulheres, é dos aspectos mais frágeis que carregamos na mala. Há dias em que roupa alguma parece cair bem, e nem toda a maquiagem importada do mundo dá conta do recado. Porque aquilo que vemos no espelho é influenciado por aquilo que vai dentro da nossa mente. Nosso humor - ou a falta dele -, nossas inseguranças, problemas pessoais, todos parecem interferir na imagem que vemos no espelho.

Muitas de vocês que acompanham o blog dividem comigo os mesmos problemas e inseguranças. Muitas vêm de sucessivas dietas infrutíferas, vêem o ponteiro da balança disparar - na direção contrária à pretendida - e acabam com a auto estima no chão. A vida, essa caixinha de surpresas, costuma nos judiar, e nós permitimos que isso aconteça na grande maioria das vezes.

Mas a questão é: como dar a volta por cima? Como reaver a auto estima perdida? Como olhar-se no espelho sem entristecer com o reflexo contido nele? 

Não vou listar aqui dicas que sites já nos fornecem diariamente. Digitando no Google você terá acesso a várias delas. Vou listar aqui coisas que eu mesma tenho feito nesse sentido e que têm surtido efeito de verdade. Dividirei com vocês minha experiência pessoal - incompleta do jeito que ela é, e em processo de construção. Mas antes, para quem é novo, um resumo da minha situação há pouco menos de um ano atrás:

Casei com 63kg. Em pouco mais de 3 anos praticamente dobrei de tamanho, indo parar nos 119kg. Diversos fatores me levaram a isso, mas não me deterei neles. Eu me movimentava como uma senhora. Andava vagarosamente, ofegante e com dores horríveis nos pés por conta do sobrepeso. Fora os problemas de saúde, minha auto estima estava no chão. Usava roupas feias, que me envelheciam, por serem as que serviam. Fiquei mais de um ano sem publicar fotos atualizadas nas redes sociais de tanta vergonha. Deixei de visitar amigos, de sair, tamanha a vergonha que sentia de mim mesma. Chorei inúmeras vezes, tive vontade de morrer, pensei em maneiras de fazer isso acontecer. Pedi a Deus que me tirasse a vida. E então decidi fazer algo a respeito. Foi nesse ponto que as coisas começaram a mudar.

As mudanças não aconteceram do dia para a noite. Por muitas vezes precisei me forçar a agir. Mas a insistência foi criando hábitos, e estes é que fizeram toda a diferença. Agora vamos a uma lista de baby steps (passos de bebê) que a longo prazo fizeram a diferença para mim, e podem fazer para você também:
  • Cuide da sua saúde. A saúde física e nutrição fazem toda a diferença. Um corpo saudável dá todo o suporte para que a mente também fique saudável. Você precisa emagrecer? Precisa ganhar peso? Quer mais curvas? Luta contra o diabetes, colesterol alto? Veja qual sua real necessidade e foque nela. Procure soluções e faça algo a respeito. Eu precisava emagrecer e baixar diversos índices que estavam nas alturas, então foquei nisso e hoje já se foram mais de 30kg. 
  • Mude hábitos aos poucos. A maioria das pessoas que tentam mudar tudo de uma vez só fracassa miseravelmente. É preferível mudar hábitos aos poucos e ir consolidando-os, acrescentando novas mudanças às já conseguidas, do que tentar fazer tudo de uma vez só e acabar mais tarde jogando tudo para o alto. Alguns hábitos que já consegui mudar: cortei refrigerantes, frituras, embutidos definitivamente, junto com meu marido. Passei a fazer atividade física regularmente, e a controlar mais o que vai à mesa. 
  • Permita-se momentos de descanso diários. Leia. Assista um bom filme. Vá ao cabeleireiro, à manicure. Ou apenas escute uma boa música de pernas para o ar. Procure se dar alguns minutos todos os dias, mesmo que seja pouco antes de dormir, para relaxar. Estes minutos serão importantes demais para sua mente. E uma mente fortalecida trabalha melhor e ajuda na questão da auto estima.
  • Cuide do seu cabelo. Já dizia algum poeta cujo nome perdeu-se na minha cabeça (risos), que o cabelo é a moldura do rosto. Escolha um bom corte, que valorize seu tipo de cabelo, seja ele qual for. Aceite seu cabelo como ele é. Não existe cabelo ruim, existe a sua aceitação em relação ao seu cabelo. A maioria de nós está descontente com ele. Quem tem cabelo liso gostaria de ondas. Quem tem cabelo crespo quer cabelo liso e segue o baile. Eu adoraria mais volume. Consigo melhorar bastante a questão com produtos e um bom corte. Mas ele é assim, e o aceitei como é. Invista em bons produtos. Veja bem, produto bom não é sinônimo de produto caro. A maioria dos cabelos saudáveis responde bem a marcas baratinhas como Seda, Pantene, Palmolive. Basta escolher a que melhor se adapta ao seu tipo de cabelo. Quanto mais química você usar no seu, mais caros serão os produtos que você precisará usar para "consertá-los".
  • Cuide da sua pele. Outro ponto importante. Se a sua pele não colabora, o reflexo no espelho também fica prejudicado. Muitos problemas de pele e mesmo cabelos (item anterior) são melhorados incrivelmente através de uma alimentação saudável. Depois vem a hidratação. Descubra seu tipo de pele e use os produtos corretos para esse tipo. 
  • Maquie-se! Você não precisa sair toda montada no batom da MAC e cílios postiços para ficar bonita. Nem precisa usar toneladas de produtos caros. Um BB Cream (que já hidrata e uniformiza a pele), rímel e batom já fazem toda a diferença. Mas comece devagar, se você não costuma usar nada. Comece com um batonzinho. Depois rímel. Depois vá acrescentando itens devagarinho. Mas não exagere! No dia a dia é preciso bom senso ou você pode passar a imagem errada. Vá com calma sempre. O básico sempre é o mais certeiro. Confesso que sempre fui muito descuidada com relação a isso. Ter a pele oleosa também dificulta o encontro de bons produtos. Mas melhorei muito. Hoje fechei uma semana inteirinha que não saio de casa sem pelo menos um BB Cream, rímel e batom. Só eu sei o quanto isso fez diferença na minha auto estima. E precisei de apenas 10 minutinhos extra diários para isso. 
Pequenas, mas preciosas dicas. Se formos pesquisar a fundo, há muitas outras. Mas hoje decidi listar as essenciais, mais fáceis de serem implementadas, e que fizeram a diferença na minha vida. Espero que você também se empolgue e venha nessa onda do "eu me amo, eu me amo, não posso mais viver sem mim." Uma linda semana para você!


Beijos!
Comentário(s)
Comentário(s)