Pessoalidades

Os outros são só os outros... Será?

23:49Denny Baptista

Eu preciso confessar: apesar de manter ótimas relações com as pessoas, sou muito anti-social. Detesto abraços, não sou chegada em aglomerações. Apenas com quem é mais chegado a mim. Isso dificulta e muito a minha adaptação aqui. Eu tenho muitos conhecidos, pessoas com quem convivo no dia a dia, etc, mas não tenho a mínima vontade de me achegar mais a estas pessoas.

O que acontece é que acabo na mesma rotina de sempre: acordo. Vou para o trabalho. Trabalho um monte. Venho para casa almoçar às segundas, quartas e sextas. Nas terças e quintas ando meio sem saber o que fazer, já que nestes dois dias meu marido está dando aulas de cinema e pintura em uma cidade próxima. Então volto ao trabalho e trabalho. À tardinha meu marido vem me buscar, ou nos dias de trabalho em outra cidade dele, vou para casa. Arrumo a casa, faço algo para comer e divido meu tempo entre televisão e internet. Bom, dividir não é bem o termo correto. O ideal seria dizer que faço ambas as coisas concomitantemente. À noite meu marido estuda, lê, toca violão, conversamos, mas nem sempre nossas "programações" se fecham. Ele está estudando para alguns projetos e para um mestrado. E eu... perdida. Não tenho um objetivo X. Não tenho uma vocação. Ando louca para mudar de ramo, mas com medo de perder a estabilidade do funcionalismo público. Muitos medos.

Então fico na internet. MUITO TEMPO. Leio blogs, e-mails, newsletters que assino, sites de notícias, etc... Converso com as pessoas pelo Twitter. E isso me deixou ainda mais afastada do contato social (e virtual). Nem entro em MSN, não gosto mais. Skype só pra família. E fica cada dia mais fácil ser... impessoal.

Preciso de mais contato com pessoas, mas não quero. Não quero sair na rua, não quero que me vejam, o que faço é por pura obrigação. As "voltinhas" que dou com meu marido são apenas para não fazê-lo pagar por seja lá qual problema tenho. Me vejo toda como um problema. E um problema sem solução.

Aí acumulo atividades na internet. No Facebook, jogo Farmville pra passar o tempo. Tenho dois blogs criados que pretendo manter, mas andam capengas. Um terceiro jogado às traças. O Twitter. Recebo muitos e-mails. Uma conta nova no Tumblr, que uso para armazenar frases e textos que gosto e imagens. Quase uma coleção.

Eu não deveria me importar com tudo o que dizem. Mas a cada dia mais parece que isso incomoda as pessoas. O que eu faço e acho bacana, algumas pessoas taxam como "vício" ou inutilidade. E isso me incomoda, faz com que eu me sinta mal comigo mesma, pq elas... podem estar certa. E eu não quero estar errada.

Criei laços com algumas pessoas do Twitter, mas eles parecem estar enfraquecendo. Não que elas tenham culpa. Eu costumava interagir mais, divertir mais. Agora parece que perdi o jeito e vou me distanciando... Isso piora o quadro.

Aí eu penso em diminuir meu tempo na internet. Mas e aí, vou ocupar esse tempo com o que? Com mais televisão? Leituras? Ah sei lá, acho que seria com isso mesmo, mas me falta vontade.

Na internet não podem me ver como estou. Na internet não estou acima do peso. Enfim...

Alguém me diz o que é isso? Agradeço, não me conheço.


Bjs.

Você pode gostar destes também

4 comentários

  1. Comigo acontece a mesma coisa. Cada vez tenho menos vontade de andar em grupinhos e ouvir cobranças.

    ResponderExcluir
  2. As vezes na vida, passamos por periodos de introspecção, mesmo quanto tudo está bem, não nos sentimos bem, precisamos nos preservar, não nos expor, tudo bem, se for só por um periodo ou se não estiver te atrapalhando, caso contrário, seria bom ver se não é depressão e procurar tratamento, é muito triste, viver infeliz. Você não deve fazer isso pelos outros, mas sim por você, seu comprometimento é com sua vida. A vida é muito bonita e preciosa para ser desperdiçada.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi linda,
    sei q é meio complicado conviver com as pessoas quando se está acima do peso, eu às vezes me sinto constrangida quando falam alguma coisa, soltam piadinhas de gordo, etc, mas sei me afastar será pior. A gente não resolve os nosso problemas se isolando do mundo. Pôxa Denny, tenta fazer mais amizades virtuais e "reais" tb. E concordo com o comment da Deca, procura um especialista, se cuida linda.
    Bjs e tenha uma ótima semana

    ResponderExcluir
  4. Eita, parece que eu escrevi isso.
    Aposto como volta e meia as pessoas ficam te chamando pra ir em tal lugar fazer sei lá o que, e você não quer MESMO ir e nem tem uma desculpa boa pra dar. Aí você fica tipo uma semana sem entrar no orkut/facebook ou sei lá pra evitar as cobranças desse povo. Se você concordou com isso, nós DEFINITIVAMENTE somos caras-gêmeas. HAUHAh

    Mas não é engraçado. Eu ainda não arrumei uma explicação ou "cura" pra isso também, e pra falar a verdade eu meio que gosto de ser assim, afastada de círculos sociais e ficar o tempo todo em casa. Mesmo que não seja saudável e etc. Então acontece isso aí mesmo, a gente fica o dia todo na net fazendo amigos distantes e afastando os próximos, até chegar ao ponto de discutir com esses pobres coitados que moram a milhares de kms da gente, cobrando coisas que eles não podem fazer por nós. Não é fácil.

    Ah Dê... É fácil dizer "procure ajuda" ou "saia mais e conheça gente". Eu tenho pavor disso e gostaria que os outros entendessem como é difícil pra gente se sujeitar a essas coisas. Mas se é uma coisa que realmente te incomoda e faz mal pra sua cabeça e saúde, se abra com o seu marido ou quem lhe for mais chegado. Mesmo que eles não saibam o que fazer, ao menos vc sabe que tem uma companhia e alguém que te entende sem te cobrar. :)

    Beijão e fique bem! Te adoro.

    ResponderExcluir

Se você deseja uma resposta a alguma pergunta específica, por gentileza use uma das opções abaixo:

- Deixe seu e-mail, pois o sistema de comentários do blogger não notifica quando respondo, e te responderei por e-mail;

- Envie sua pergunta pelo formulário de contato do blog, do lado direito e deixe seu e-mail para que eu lhe responda;

Beijão!

recent posts

Flickr Images

Formulário de contato