21/06/2018

Maratona BEDA Interblogs

| |

Gente, desenterrei o blog. É isso. Espero que agora ele fique desenterrado de vez. Mas esta história é para outro post. Este post é para avisar que decidi aceitar o convite da Pri, do blog Bem Bela, e participar da Maratona BEDA Interblogs. 

BEDA é a sigla americana para Blog Everyday in April or August, e já vem sendo feita há anos por blogs, canais do YouTube e tudo o mais. O desafio é fazer uma postagem por dia em agosto. E para mim será um mega desafio, uma vez que ultimamente a última coisa que tenho feito é postar no blog. Inclusve o domínio dele havia vencido e fiquei me enrolando pra ir pagar o boleto e ele ficou fora do ar um bom tempo. Mas aí a Pri me chamou e decidi encarar.

Esse blog vai fazer uma década. Não quero abandoná-lo às traçasm por mais que tenha decidido blogar apenas por prazer e quando tiver vontade. 

Se você tem blog e, assim como eu, está sem muita motivação, pode ir lá no blog da Pri para se inscrever e participar também. Basta clicar na imagem abaixo:

Clique AQUI para ser direcionado ao post de inscrição.

Bom, e agora vamos ver qual é! Estou numa correria doida, mas animada para acrescentar mais esse item à ela, rs...

Beijão!

31/03/2018

Tirando as teias de aranha

| |
Eu na praia de Itapoá/SC.
Este blog não morreu. Não de uma maneira literal ao menos. Pagarei o domínio assim que meu rico dinheirinho cair na conta. Mas se eu disser que ele segue meu foco ninguém acreditaria. Nem eu.

Completei 35 anos no mês passado - assim, em silêncio, com quase ninguém me parabenizando porque há uns 3 anos eu omiti esta informação do meu Facebook. Eu sempre faço aniversário nas férias então a maioria das "parabenizações" aconteciam via redes sociais, e tudo bem. Mas com o tempo e a idade a gente vai ligando cada vez menos, mas também sendo cada vez mais chatos. E eu estou ficando chata sim, admito. Então há uns 2 ou 3 anos eu decidi que não precisava receber parabéns de quem não lembrasse do meu aniversário sem uma notificação da rede social. Vejam bem, eu não considero estas pessoas mal agradecidas, maldosas, menos especiais, nem nada. Eu também quero cada vez lembrar menos do meu aniversário hahahaha... Eu não gosto dele já faz um bom tempo, e nem é pelo passar dos anos. Não que eu goste de ficar mais velha, na verdade me apavora a forma como os anos tem passado e eu não tenho feito nada de realmente importante na minha vida (para mim, lógico). Porém eu ando cada vez gostando menos de abraços afetados, parabéns melados e reuniões onde você acaba convidando um monte de gente que nem te interessa apenas por obrigação. Estou cada vez menos me sentindo obrigada a qualquer coisa. Neste ano saí jantar num restaurante árabe com meu marido e irmão - a cunhada e sobrinhos estavam na praia, pais e irmã longe. E foi perfeito assim mesmo. Um jantar delicioso, em ótima companhia e sem alarde. Gostei e quero isso mais vezes.

Bom, deixando de lado isso, o blog é um espaço que eu ainda gosto, mas que definitivamente deixou de ser uma prioridade. Não tenho mais aquela paixão toda por blogar, visitar pessoas, responder comentários, criar conteúdo, ver os números crescerem, me sentir relevante. Essa fase passou. Não sei se definitivamente, mas passou. Preciso acertar de vez a linkagem interna dele que desconfigurou toda com a mudança de domínio e fazer isso com os vídeos do YouTube - que só não deleto porque realmente acho um material bom. Já tem gente me xingando lá porque os links dão em nada.

Acontece que eu estou trabalhando muito, e no tempo livre realmente não me passa na cabeça vir aqui escrever o que quer que seja. Tenho usado o tempo livre para ler (já li QUATRO livros esse ano, meu recorde dos últimos tempos!). Tenho ido à praia também. Na minha cidade tem uma pseudo praia - uma baía na verdade - porém moro a coisa de 50km de diversas praias, então com 1 horinha de carro, voilà! Já cultivo uma marquinha - de maiô. Tenho passeado também pela cidade - menos do que gostaria, admito. Também jogo alguns joguinhos idiotas para passar o tempo (The Sims, apenas mantendo os avatares minimamente vivos, e ainda jogo mais pelo modo construir e decorar que adoro, mas é algo semanal). Estou acompanhando algumas séries aos trancos e barrancos: Grace & Frankie, Greys Anatomy, Gilmore Girls (com anos de atraso, eu sei), Desperate Housewives (retomei, mas ainda não sei se vou engrenar). Nada muito inteligente, apenas algo para rir e deixar de fundo enquanto trabalho à noite. Eventualmente assisto algum filme.

Passei a dormir mais cedo (em torno das 22h, 22h30min no máximo), e agora deixo os celulares carregando na sala e, em pleno 2018, voltei a utilizar o bom e velho despertadorzinho do Paraguai para acordar. É impressionante o impacto disso na qualidade do meu sono!

Sigo gorda, precisando emagrecer mas não querendo tocar no assunto por enquanto. Entrei naquele limbo em que eu quero fazer, mas não tenho disposição e fico me permitindo muitas fugas, e comido muita besteira. Estou tentando apenas não me sentir uma bosta por isso. Já está de bom tamanho. Procuro comer minimamente bem, porém ainda não me readaptei à rotina corrida e meus almoços muitas vezes tem sido bem meia boca. Ensaio algumas organizações, mas o cansaço às vezes vence violentamente - e a preguiça idem.

Meu kefir ainda vive, meu kombucha acho que também sim, mas preciso cuidar dele melhor. Guardei um troquinho e quero comprar duas bicicletas para meu marido e eu darmos alguns passeios pela cidade. Joinville é muito amigável a ciclistas (bem, a cidade das flores e das bicicletas!), e acredito que os passeios de bicicleta serão bem mais interessantes que ir de carro para lá e para cá. O plano também é guardar uma graninha (trabalhando como uma mula para isso!) para comprar duas motos, tirar a carteira de motorista (moto e carro) e fazer umas viagens assim. Marido quer ir a Ushuaia. Quem sabe role, seria algo de que eu gostaria muito, apesar de me cagar de medo e saber que haverá um movimento violento contra a empreitada no seio familiar. Mas o futuro mostrará.

Bom, minha vida tem entrado num ritmo diferente dos últimos tempos, muitas coisas mudaram. Mudei bastante também. Amadureci. Envelheci. Aceitei algumas coisas, busco forças para mudar outras. Mas ainda há gritos ecoando em meu peito e desconsolos que nunca curarão. Mas eu sigo bem com isso tudo de qualquer forma. Me mantendo ok, com a cabeça o máximo possível no lugar, buscando uma serenidade que sei que não é minha, mas que meio se traduz neste meu texto.

Ah, me inscrevi, enfim, numa pós graduação.

As calopsitas seguem vivas.

Não quero mais fazer mil coisas ao mesmo tempo, e por isso o blog foi ficando pra lá. Ele nunca será abandonado, mas certamente perderá o público fiel que tinha, pois ele passará a traduzir estes meus hiatus, essa minha falta de pressa, esse meu "tô nem aí". Não estou sempre nessa tranquilidade, muito pelo contrário. O passar do tempo me agonia, a falta de propósito da minha vida me desespera às vezes, tenho buscado um rumo que não é fácil de encontrar. Mas agora, neste momento, está tudo uma calmaria. Deve ser o feriadão.

Beijos.

17/01/2018

Começando 2018

| |

2018 começou, mas parece que eu ainda não comecei, sabe? Esse "ritmo de férias" deixa tudo meio confuso, rs... Não que eu queira que acabe logo, longe de mim pensar isso hahahaha! 

Até ontem meus pais ainda estavam na cidade. Foram embora ontem. Não sei se é porque é a primeira vez que fico tão longe deles,  parece que o buraco que ficou por aqui foi maior. No domingo eu estava mais na bad, antes de eles irem. Ontem foi mais tranquilo do que achei que seria, mas ainda sim dá aquela vontade de ter eles mais perto. 

Meu marido e eu ainda nos sentimos muito sozinhos aqui nesta cidade. Tenho meu irmão e a família dele aqui, mas fora isso o que tenho são colegas de trabalho e alguns conhecidos aleatórios. Está difícil criar vínculos, sabem. Nós estamos em um "limbo" complicado: os casais de nossa idade têm filhos, e vocês sabem casais com filhos e casais sem filhos se relacionam de maneira diferente, fazem programas diferentes e tudo o mais. Os casais sem filhos em sua maioria são muito mais jovens que nós e têm interesses diferentes também. Enfim, é uma cidade onde a galera trabalha para caramba e sai pouco, a não ser para a praia nos finais de semana. Neste ano vamos trabalhar neste sentido, de nos relacionar com mais pessoas e buscar um lugar-comum mais confortável. Não é algo horroroso que nos deixe deprimidos ou algo assim, mas com a casa cheia desde antes do Natal, agora sentimos um vazio maior do que imaginávamos, rs...

Bom, neste início de ano cedi a uma "dieta normal". Arroz, feijão, pão às vezes, mais beliscadas que o normal e tudo o mais. O resultado foi desastroso, e aqui estou me lixando para o peso, ok? Fiquei inchada, a desidrose voltou com tudo, tive gases, azia, dor de estômago, falta de disposição, aquele sono que não descansa e tudo o mais. No ano passado nós acordávamos cedo e aproveitávamos bem o dia nas férias. Neste ano dormimos até tarde e passamos o dia letárgicos. Para ajudar, muita chuva e a cidade aqui alaga com facilidade, então a mobilidade acaba diminuída.

Sabem, não são sintomas que passei a ter com alimentação normal depois que passei a comer relativamente bem. Eu apenas voltei a ter muitas coisas que eu tinha antes (a falta de disposição, as dores, etc), e que eu nem lembrava como eram ruins. Nesta semana já comemos melhor, e as coisas estão voltando mais aos eixos. Nessas horas eu tento entender como aguentei me sentir assim por tantos anos. Louca, louca.

Bom, passeamos em algumas praias da região - a foto deste post fiz em alguma delas, entre Porto Belo e Mariscal, não lembro em qual foi, rs - , mudei de cor totalmente (hahaha), e nos divertimos bastante. Agora estou organizando tudo aqui em casa, logo precisarei começar a me organizar para o início das aulas, em menos de um mês. Queria poder dizer que estou fazendo algo realmente útil nestas férias, mas infelizmente não, rs... Eu gosto de ser produtiva, mas agora já foi, tentarei ser mais produtiva neste restinho de férias.

O que tenho feito: 

- Assistido séries na Netflix (Gilmore Girls, Greys Anatomy, Grace and Frankie, etc) e filmes variados (todos os Rocky, todos da Bridget Jones, hahaha).
- Jogado joguinhos inúteis do Facebook ou Playstore (The Sims, Linda Brown, Perguntados, Apalavrados, Heart's Medicine, etc).
- Dormido mais do que eu gostaria.
- Assistido vídeos diversos no YouTube.
- Criado playlists no Spotify e Deezer - achei a lista de músicas do meu casamento, já virou playlist, rs...

Acho que nada além disso, rs... Nem ler eu tenho lido! Estou mortificada por não ter lido nenhum livro até agora - não sei onde enfiei o último que estava lendo. Inclusive vou resolver isso agora indo lá na estante e pegando um.

Bom, o que vocês fazem nas férias?

Beijão! Prometo um post mais útil para a próxima!

15/01/2018

Manual de Kefir de leite

| |
Imagem: Freepik.

Acordando o blog com algo bem bacana! Falei nas redes que eu estava fazendo um manual do kefir de leite. Demorei um pouco porque queria ter certeza de algumas informações, fazer alguns testes no meu próprio kefir, para que tudo desse certinho e enfim ele está pronto!

Calma, vou começar este manual ensinando você a conseguir o seu também!

Como tudo na vida, depois que ganhei meu kefir, comecei a pesquisar enlouquecidamente (sim, sou exagerada!) seus benefícios, formas de cultivo, cuidado, preparo. Então já domino boa parte do assunto, o suficientemente para ensinar. Fiz também muitas receitas com ele, fiz testes e tudo o mais. Junto com meu kefir, recebi um manual de cultivo. Ele tem tudo o que se possa querer saber sobre o kefir. Mas este também é seu maior problema: é MUITO material. Então eu me via perdida ao tentar caçar alguma informação. Da mesma forma, encontrar informações nos grupos do tema não é sempre tão simples e geralmente são informações para a galera veterana no assunto, ou besteiras sem muito embasamento, além das muitas informações erradas.

Decidi, então, criar esse manual básico do cultivo do kefir de leite. Haverá também um sobre o kefir de água (quem sabe enquanto você lê este o manual do kefir de água já esteja pronto também), e penso em fazer um livrinho de receitas. Neste manual você vai encontrar o básico. Sem firulas, sem complicações. A intenção é resumir a coisa a ponto de você pegar ele como fonte de consulta simples e rápida quando tiver alguma dúvida. É para ser simples e fácil de encontrar algo aqui. Claro que explicarei tudo, para que quem não sabe nada de nada consiga entender. Mas também não haverá grandes aprofundamentos. Por exemplo, você já deverá pelo menos saber o que é o kefir e para que ele serve. Não sabe? Pergunte ao Google, juro que ele tem respostas bem razoáveis – apesar de haver certo exagero nos milagres a ele devidos. Deixo-os para o manual completo – se você quiser, me peça e te enviarei. A ideia é pinçar o básico para que você não fique refém das pérolas postadas nos diversos grupos sobre o assunto.

Nele você vai encontrar os seguintes itens:

Como conseguir meu kefir?
Consegui meu kefir, e agora?
Qual o melhor leite para o cultivo do kefir?
Cuidando do kefir
Proporção de grãos e leite, e tempos de fermentação
Mitos sobre os tempos de fermentação
Consumo de kefir por intolerantes à lactose
Acidez do kefir
Criando uma reserva de grãos
Contaminação do kefir
Os grãos estão crescendo muito, e agora?
Congelando os grãos
Como utilizar o kefir
Utilizando o kefir em receitas
Posso transformar meu kefir de leite em kefir de água
Como saber se meu kefir morreu
Duração dos produtos à base de kefir

Seu feedback será muito importante. Se você acreditar que há mais alguma informação a ser inserida – desde que básica, ok? – me avise via e-mail, ou pelo blog, fanpage do Facebook também. Pretendo ir atualizando este manual e deixa-lo cada vez mais bacana, e conto com sua ajuda para isso, ok?

O manual esteve disponibilizado gratuitamente neste post até o dia 01/02/2018. A partir de agora você pode encontrá-lo na versão e-book, com uma formatação mais profissional, a um preço simbólico (R$9,90). Segue o link:




Um grande beijo!                                                                                                


01/01/2018

Adeus 2017 - Uma retrospectiva

| |
Foto: Arquivo pessoal. Local: algum lugar entre a Praia do Mariscal e Bombas em Santa Catarina.

2017 foi definitivamente um ano de mudanças. Foi um dos anos mais difíceis da minha vida, definitivamente. Porém foi um ano de crescimento, sem sombra de dúvidas. Me mudei de estado, trabalhei em dois empregos, passei por muitas dificuldades financeiras, mas saio dele muito melhor que entrei, 

2017 começou com um prognóstico muito bom: uma cidade nova, repleta de oportunidades, com um emprego novo já garantido e com tudo encaminhado. Organizei tudo para que ele começasse bem, a mudança foi feita de forma bem pensada, nos precavemos financeiramente e tudo o mais. Porém logo no começo algumas coisas saíram muito erradas e tudo ficou muito, muito complicado. Coisas qu enão dependiam de nós, então não houve muito o que fazer a respeito. Eu nunca tive dúvidas de que a mudança de estado foi a melhor decisão que tomei. Mas precisei de muita força para passar o período de instabilidade que veio logo no início, e me fez pensar onde eu estava errando para tantas coisas darem errado. Enfim, mas tudo foi se encaixando à sua maneira e devagar, bem devagar, a vida foi estabilizando.

Apesar de tudo, em 2017 crescemos muito, meu marido e eu. Nos últimos anos nós apenas vínhamos vivenciando as dificuldades e não estávamos crescendo nada, estávamos estagnados de uma forma que não víamos saída. Neste ano, apesar de tantas, tantas dificuldades, que só nós sabemos, sentíamos que estávamos avançando em frente, e que as dificuldades faziam parte disso. 

Acho que foi o ano em que menos escrevi no blog. Em que o repensei e decidi mantê-lo sim, uma vez que ele já sobreviveu a tantas crises minhas. Não vou dizer que no próximo ano ele vai voltar com tudo, porque se neste ano eu tive trabalho para caramba, em 2018 há a promessa de mais trabalho, uma vez que recebi uma proposta bacana de ampliar minha carga horária na escola onde trabalho. 

Foi um ano em que devagarinho eu fui voltando a sonhar. Com coisas pequenas e possíveis, mas sei que já é um grande passo para mim. Sigo gorda ainda, mas aceitei um processo mais lento e constante de perda de peso (poxa, diminuí 2 números no manequim, não foi tão ruim!). E em meio a tantas promessas e planos, eu só quero ser feliz - sabendo que ser feliz não é algo tão simples, que não é pleno, e nem constante. 

Eu não vou criar grandes expectativas para 2018 - já criando. Vou permitir que ele aconteça e vou me entregar para a maior quantidade de experiências possível. Preciso sim, perder peso. Questão de saúde, sabem? Minha saúde anda ótima, mas estar acima do peso me incomoda na questão de locomoção. Meu joelho dói, sentar e levantar de lugares baixos é ruim, e eu odeio estas limitações. Também preciso fazer novas amizades - preciso de novas amizades! Mas manter uma distância segura de pessoas nocivas. 

Não vou criar nenhuma listinha para 2018. Quero SER mais. E vamos ver no que isso vai dar.

Um beijo enorme e um 2018 mais gentil com todos!